Denise Fraga entra em cartaz no Palácio das Artes com a peça 'Chorinho'

Atriz é acompanhada por Cláudia Mello em montagem simples e potente

por Carolina Braga 04/04/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
João Caldas/Divulgação
(foto: João Caldas/Divulgação)
“Nunca fiz uma peça em que senti tanto o valor da palavra”, confessa Denise Fraga. E olha que ela tem Bertolt Brecht na carreira com 'A alma boa de Setsuan'; Shakespeare com 'Ricardo III'; e o irlandês Samuel Beckett com o também clássico 'Esperando Godot'. Mas é 'Chorinho', o texto escrito por Fauzi Arap, vencedor do prêmio APCA em 2007, que assume esse posto. O espetáculo estará em cartaz no fim de semana no Grande Teatro do Palácio das Artes.


Denise Fraga divide a cena com Cláudia Mello em montagem extremamente simples e potente. Elas precisam apenas de um cobertor, um caixote e um banco para contar a história da amizade entre uma moradora de rua e a mulher solitária que visita a mesma praça todos os dias. A dramaturgia alterna humor e drama ao falar sobre o presente.

“Queria fazer alguma coisa que falasse do convívio, da nossa dificuldade em estabelecer relações, da preguiça do outro”, conta Denise. Foi com esse pedido que ela procurou o diretor – e mestre como faz questão de salientar –, teve a ideia de convidar Cláudia e levar 'Chorinho' para o palco. “Quando ele me mostrou o texto, vi que falava tudo o que gostaria de dizer. Fauzi era grande conhecedor do que é humano e, por isso, das nossas mazelas”.

O dramaturgo parte de uma relação cotidiana para mostrar o quanto alguns sentimentos e mesmo condições são universais. A peça trata de diferença, de solidão. “É esse funcionamento de espelho. Elas se descobrem uma dentro da outra. Como tão diferentes podem ser tão iguais”, analisa a atriz.
 
INTIMISTA 'Chorinho' estreou em 2012 e tem a seu favor ser uma obra de fácil circulação. Já passou por cidades como Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Salvador, Extrema, Ilha Comprida, São Bernardo do Campo, Campinas, Jundiaí e Salto. Logo no início, fez apenas uma apresentação fechada em Belo Horizonte, também no Palácio das Artes.

Embora a montagem seja intimista, Denise Fraga conta que não tem sido problema apresentá-la para grandes plateias. “Fauzi consegue falar de coisas profundas de maneira leve. Por meio do humor, da simplicidade, há uma identificação cotidiana”, comenta. Denise é quem interpreta a mendiga, uma mulher espirituosa, apesar de sua condição.

“Uma das delícias do meu ofício é viver emprestado. Além de ser um personagem suculento, fala sobre aquilo que eu gostaria. Sinto-me uma privilegiada, com uma missão muito grande, em interpretar alguém que é porta-voz das ideias do Fauzi”, diz.

Chorinho
Espetáculo com Denise Fraga e Cláudia Mello. Sábado, às 20h, e domingo, às 19h. Grande Teatro do Palácio das Artes, Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro, (31) 3236-7400. Ingressos: plateia 1, R$ 70 (inteira) e R$ 35 meia; plateia 2, R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia); balcão, R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia).  

PLANOS

A ideia de Denise Fraga é continuar durante um bom tempo fazendo 'Chorinho' pelo Brasil. Além disso, tem planejada para 2015 nova montagem de texto de Bertold Brecht, que prefere manter em segredo. “Sou uma grande fã dele”, diz. Na televisão, está confirmada na próxima temporada de '3 Terezas', seriado exibido pelo GNT. Ainda este ano vai rodar o longa 'Do lado de cá'. O drama urbano ambientado em São Paulo será dirigido pelo marido, Luiz Villaça, e terá também no elenco o ator Domingos Montagner.


SAIBA MAIS

FAUZI ARAP

Ator e diretor, Fauzi Arap faleceu em dezembro de 2013. Ele começou como ator nos anos 1950, no Teatro Oficcina. Aos 29 anos, abandonou a carreira de ator para dedicar-se à direção. Lançou nomes como Plínio Marcos, Antônio Bivar e José Vicente. Ao dirigir Maria Bethânia no show Rosa dos ventos (1971), projetou a cantora nacionalmente. Chorinho foi o último trabalho do diretor e dramaturgo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS