Milionário de Angola quer comprar 85 quadros de Miró para que obras permaneçam em Portugal

Governo português tenta leiloar obras, mas esbarra em resistência da oposição socialista

por AFP 03/04/2014 20:27

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
REUTERS/Suzanne Plunkett
Conjunto de obras do espanhol Joan Miró é avaliado em R$ 113 milhões pela casa Christie's (foto: REUTERS/Suzanne Plunkett )
Um milionário de Angola ofereceu ao governo português comprar os 85 quadros do pintor espanhol Joan Miró que a Christie's leiloará em junho, para evitar que saiam de Portugal, indicou nesta quinta-feira, 3, o jornal Diário Econômico.

Os quadros passaram a ser propriedade do Estado português quando o banco BPN foi nacionalizado, em 2008. Mas o governo decidiu leiloá-los para alimentar os cofres do Estado, apesar dos protestos da oposição socialista, que tenta bloquear a venda nos tribunais.

O angolano Rui Costa Reis, filho de imigrantes portugueses que se tornou milionário com os cereais, propôs pagar 44 milhões de euros para adquirir a coleção e depois expô-la durante 50 anos em Portugal, segundo o jornal. O milionário de 46 anos, que também produz filmes em Hollywood, propõe que os quadros sejam expostos no Porto, a cidade do norte de Portugal onde sua mãe nasceu.

A casa de leilões Christie's avalia em mais de 30 milhões de libras (36,4 milhões de euros) o preço dos 85 quadros de Miró, "uma das coleções de arte mais amplas e impressionantes do artista jamais leiloadas". A Christie's decidiu cancelar a venda, prevista inicialmente para fevereiro, e adiá-la até junho pelas denúncias em andamento nos tribunais portugueses.

No entanto, esta venda também pode ser suspensa pela justiça se prosperarem os recursos do Ministério Público, que considera que as obras "formam parte do patrimônio cultural do país".

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS