Companhia brasiliense Nós no Bambu traz espetáculo à capital

No alto de 29 varas de até 6 metros, cinco intérpretes dançam em 'Teia- paralaxes do imaginário'

por Carolina Braga 27/03/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Daniel Lavenere/divulgação
(foto: Daniel Lavenere/divulgação)
A técnica é incomum: acrobacias com bambu. Muito por isso, é natural a surpresa despertada pela companhia brasiliense Nós no Bambu. Desta quinta até domingo, o grupo traz a BH 'Teia – paralaxes do imaginário', sua quarta montagem.


No alto de 29 varas, que podem chegar a seis metros de comprimento, cinco intérpretes executam uma dança a partir de movimentos que remetem ao universo circense. “O bambu é muito resistente. Dependendo da direção em que recebe uma força, ele chega a ser tão forte quanto o aço”, conta Poema Mulhenberg, criadora e diretora artística do grupo.

Ela estudava design industrial em Brasília quando conheceu o Sistema Integral Bambu, criado pelo professor de educação física Marcelo Rio Branco. A partir de técnicas de manejo de varas, Poema, Ana Flávia Almeida, Beatrice Martins, Nara Faria e Roberta Martins iniciaram sua pesquisa de dança acrobática.

'Teia – paralaxes do cotidiano' explora as interconexões e a geometria presentes em todas as formas da natureza. “São metáforas visuais. As estruturas de bambu assumem diferentes significados conforme a observação do espectador”, explica Poema. Segundo ela, o trabalho não se limita a experimentações estéticas: “Trabalhamos com emoções também. É muito visceral”.

TEIA – PARALAXES DO IMAGINÁRIO
Teatro Sesiminas. Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, (31) 3241-7181. De hoje a sábado, às 21h; domingo, às 19h. Inteira: R$ 50 (hoje e amanhã) e R$ 60 (sábado e domingo). Meia-entrada conforme a lei.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS