Mônica toma conta da Savassi

Mostra que percorreu várias cidades celebrando cinco décadas da personagem de Maurício de Sousa

por Walter Sebastião 25/03/2014 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Fotos: Euler Júnior/EM/D.A Press
Magali e Mônica, filhas do quadrinista Maurício de Souza, na abertura da exposição 'Mônica parade' , na Savassi (foto: Fotos: Euler Júnior/EM/D.A Press)
O cartunista Maurício de Sousa esteve ontem em Belo Horizonte. Veio inaugurar a mostra Mônica parade, que instalou 20 bonecos da mais famosa personagem dele, personalizados por vários artistas, em diferentes pontos da Savassi. A intervenção urbana, já apresentada em outras cidades, foi concebida como comemoração dos 50 anos da Mônica, celebrados em 2013, festa que está sendo encerrada em Belo Horizonte. O artista aproveitou a ocasião para anunciar que serão comemorados também os 50 anos da Magali, mas sem antecipar detalhes.

 

Confira fotos da exposição


“Todos podemos virar um personagem. Temos comportamentos que têm alguma coisa de universal”, afirma Maurício de Sousa, na mesa em que estavam duas ilustres modelos dele: as filhas Mônica e Magali (esta mora em BH há duas décadas). Ele revelou, ainda, que, a partir de abril, a Turma da Mônica ganha mais um integrante: o garoto Marcelinho. Que vai falar de economia e fazer críticas ao consumismo. “É um desafio colocar um garoto de 6 anos comentando esses temas. Mas meu filho é assim”, garantiu. O personagem foi inspirado no caçula dos 10 filhos de Maurício de Sousa.

Fotos: Euler Júnior/EM/D.A Press
Magali e Mônica, filhas do quadrinista Maurício de Souza, na abertura da exposição 'Mônica parade' , na Savassi (foto: Fotos: Euler Júnior/EM/D.A Press)
Maurício lembrou que os traços da Mônica (“ela é forte, decidida, tem opinião e é sensível”) vêm da filha. Mas disse que durante algum tempo escondeu dela que teria sido sua inspiração para a personagem. “Tinha medo de que a história influenciasse no comportamento dela. Mas, um dia, Mônica, já adolescente, voltou do colégio dizendo que uma amiga disse que ela era parecida com a Mônica das histórias. Confirmei”, recordou. A filha não se identificou em nada com a personagem, mas, segundo o pai, depois “de muita psicanálise”, viu-se como uma menina de vestido vermelho e o coelho em punho.

“Ninguém na pré-adolescência quer ser chamada de Mônica”, justificou Mônica Sousa, contando que hoje adora toda essa história. “Ela saiu de mim e tenho orgulho de saber que muita gente aprender a ler com a revista. Mônica é de uma fase em que fui mais brava”, observa, com pai e irmã, ironizando o uso do verbo no passado. Já Magali sempre se viu na personagem. “Como mesmo como uma louca”, conta. “Admiro a sensibilidade de meu pai, de tirar as características de uma pessoa e levá-las para personagens”, acrescenta. Ontem, ela estava acompanhada do filho Leo, de 10 anos, e o neto, Daniel, de 9.

PERFIL Maurício de Sousa tem 78 anos, nasceu em Santa Isabel (SP), filho dos poetas Antônio Maurício de Sousa e Petronilha Araújo de Sousa. Passou parte de sua infância em Mogi das Cruzes. Começou desenhando e rabiscando cadernos escolares, até passar a ilustrar pôsteres e cartazes para os comerciantes da região. Aos 19 anos, mudou-se para São Paulo, onde trabalhou, durante cinco anos, no jornal Folha da Manhã escrevendo reportagens policiais. É desse período o primeiro personagem – o cãozinho Bidu. A tirinha da Mônica surgiu em 1963. “Na estreia, disseram: nasceu uma estrela. Até eu achei isso”, ele recorda. Já tem, estima, entre 350 e 400 personagens. “Ainda existem outros acenando para mim”, brinca.

“Não inventei nada, apenas vi o que existe ao meu redor. E, por isso, os personagens são fortes e as histórias universais”, afirma Maurício. “Todos têm uma Mônica e uma Magali na família. Todos fomos cascões na infância e nos perfumamos ao começar a namorar”, acrescentou. O caminho da indústria brasileira de quadrinhos, na opinião dele, é incentivar criações que tenham ética, valores, que melhorem “o espírito” da criançada. “Sou o começo. Há espaço cada vez maior para conteúdo e nós brasileiros podemos colaborar. Muito do que existe hoje, no mundo, não acho adequado para crianças”, afirma.

MÔNICA PARADE
Mostra itinerante que celebra os 50 anos da personagem de Maurício de Sousa. Praça da Savassi. Até 24 de abril.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS