Espetáculo 'Humor' propõe reflexões sobre nossa existência

Peça do grupo Quatroloscinco conta a história de um paciente de uma doença terminal

por Carolina Braga 14/03/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Guto Muniz/Divulgação
'Humor' 'estreia hoje e fará temporada até dia 23, na sede da Funarte (foto: Guto Muniz/Divulgação)
Quem for conferir Humor, o novo espetáculo do Quatroloscinco – Teatro do Comum, esperando uma comédia rasgada pode se decepcionar. Não que o grupo subverta o significado da palavra. O dicionário a remete também a líquidos que correm dentro do corpo humano. E é por aí que caminha a reflexão proposta pela quarta montagem da companhia mineira.


Com dramaturgia de Assis Benevenuto e Marcos Coletta, a peça surgiu de improvisações de todos os atores sob orientação cênica de Rodrigo Campos. “A palavra humor virou o nosso universo de pesquisa. O desafio foi encontrar um recorte que pudesse se tornar um espetáculo”, diz Coletta. O caminho escolhido foi a fábula.

Humor conta a história de Seu Amadeu (Coletta), paciente de uma doença terminal. Todos os líquidos do corpo vão secando. Em volta dele há um advogado (Ítalo Laureano), uma cuidadora (Rejane Faria) e um médico (Assis Benevenuto). Enquanto os personagens discutem questões relacionadas à herança ou à enfermidade do protagonista, o espetáculo propõe reflexões sobre o tempo, o continuar da vida e até mesmo sobre teatro.  

Marcos Coletta revela que o processo de Humor foi um dos mais instáveis experimentados pelo Quatroloscinco. Iniciado em abril do ano passado, teve de ser interrompido por viagens e por questões pertinentes à própria obra. “Nós nos perguntávamos se queríamos continuar, se era aquela história que pretendíamos contar”, diz. A inquietação serviu de alimento para o que está no palco.

“A relação dos atores com o espetáculo, com o espectador e os questionamentos, mais filosóficos, estão por baixo de toda a história. São camadas mais aprofundadas, às quais tentamos dar um pouco de visibilidade para que a peça não se limite a uma historinha”, ressalta Marcos.

HUMOR
Funarte MG. Rua Januária, 68, Floresta, (31) 3213-3084. Hoje e amanhã, às 20h30, domingo, às 19h. R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia). Turnê até dia 23, de quinta-feira a domingo. Nova temporada de 24 de abril até 4 de maio, no Teatro Alterosa.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS