Escritor britânico Le Carré defende amigo que inspirou o agente secreto George Smiley

Autor respondeu a carta publicada em jornal pelo historiador Alistair Lexden

por AFP - Agence France-Presse 05/03/2014 10:07

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
REUTERS/Suzanne Plunkett
(foto: REUTERS/Suzanne Plunkett )
O escritor britânico John Le Carré negou nesta quarta-feira ter sido injusto com seu amigo e mentor nos serviços de inteligência John Bingham, em quem se inspirou para criar George Smiley, agente secreto em várias de suas obras. "John Bingham e eu fomos de verdade amigos próximos e colegas", escreveu Le Carré em uma carta ao jornal The Daily Telegraph assinada com seu nome verdadeiro, David Cornwell.

"Tive, e terei sempre, uma admiração incondicional por sua inteligência e suas conquistas", declarou Le Carré. "Há poucos tributos melhores a um amigo e colega que criar - embora só seja em parte - um personagem fictício, George Smiley, que deu prazer e motivos para a reflexão a um público admirativo", afirmou.

Le Carré respondeu, assim, a uma carta publicada na terça-feira no mesmo jornal na qual o historiador Alistair Lexden disse que Bingham não foi tratado de "forma tão respeitosa quanto merecia" por Le Carré, porque a descrição turva dos serviços de inteligência em seus romances era injusta.

Depois de fazer elogios a Bingham, Le Carré admitiu em sua carta desta quarta-feira que existiam diferenças entre ambos. "Se Bingham acreditava que o amor incondicional aos serviços secretos era sinônimo de amor ao país, acredito que é preciso vigiar este amor", escreveu Le Carré. "E que, sem esta vigilância, nossos serviços secretos podem, em algumas circunstâncias, se converter no mesmo perigo para a democracia que seus inimigos", declarou.

Le Carré, de 82 anos, é um dos grandes autores de romances de espionagem da Guerra Fria, muitos deles levados ao cinema, como 'O Alfaiate do Panamá' e 'A Casa da Rússia'. O escritor trabalhou nos serviços secretos nos anos 1950 e 1960, em plena Guerra Fria entre Ocidente e a União Soviética, primeiro na Grã-Bretanha e depois na Alemanha.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS