Memorial dedicado a Zacarias será inaugurado apenas no segundo semestre

Comediante completaria 80 anos neste sábado. Museu provisório que homenagea o trabalhão já recebe visitas desde 2008

por Ana Clara Brant 17/01/2014 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Beto Novaes/EM/D.A Press - 14/1/13
No memorial improvisado, Leandro Lupiano mostra figurino usado por Mauro Gonçalves como Zacarias (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press - 14/1/13)
Se estivesse vivo, o saudoso “trapalhão” Mauro Faccio Gonçalves, o Zacarias, estaria completando 80 anos amanhã. Infelizmente, fãs, amigos e a família do ator e humorista mineiro vão ter de esperar pelo menos seis meses para comemorar a data.


Já existe há alguns anos o projeto do memorial em homenagem ao comediante, falecido em 1990. Por falta de verba, interesse político e até de acervo apropriado, a proposta está emperrada.

Em janeiro de 2013, o Estado de Minas foi a Sete Lagoas, na Região Central de Minas, onde Mauro nasceu, e conversou com a família e representantes da prefeitura encarregados de concretizar o museu. Porém, um ano se passou e as promessas parecem ter ficado no papel. “Não há nada ainda. Falam, falam, mas não passa de promessa. Tem gente alegando falta de dinheiro, mas a iniciativa deve partir do poder público. Nós, da família, estamos abertos, mas cabe à prefeitura pôr a mão na massa. Só nos resta esperar”, lamenta Wilma Gonçalves, uma das irmãs do “trapalhão”.

Apesar da descrença de quem conviveu intimamente com Zacarias, o secretário-adjunto de Cultura e Comunicação de Sete Lagoas, Alan Keller, assegura que o memorial vai sair. E promete: em julho, haverá uma grande homenagem ao ator. O festival de inverno da cidade terá Zacarias como tema. Durante uma semana, várias atividades vão lembrar a trajetória do comediante.

"Já estamos trabalhando nas escolas públicas e oferecendo oficinas que destacam a trajetória do Mauro. Não faremos nada agora, em janeiro, justamente para focar no evento da segunda quinzena de julho”, explica Alan Keller.

O museu está também nos planos. De acordo com o secretário-adjunto de Cultura, a ideia é acertar a parceria entre a prefeitura e o Centro Universitário de Sete Lagoas (Unifemm). O memorial funcionaria dentro do Teatro Redenção, um dos espaços artísticos mais antigos do município, que vem sendo restaurado desde outubro. Fundado há 110 anos, ele volta à ativa no segundo semestre, informa Keller. As providências para a implantação do museu serão adotadas a partir daí.

“Zacarias é a figura mais conhecida e ilustre de Sete Lagoas. A prefeitura tem o maior interesse em construir esse memorial, mas dependemos da ajuda da família e de quem conviveu com ele, porque o acervo que temos do Mauro é muito tímido”, diz Keller.

De acordo com o secretário-adjunto, é fundamental mostrar tanto a familiares quanto a amigos a importância de Mauro Gonçalves, incentivando-os a doar material para o museu. “As pessoas ainda sentem certa insegurança em repassar qualquer coisa para um órgão público. Nossa intenção é provar justamente o contrário, o quanto isso é relevante para concretizar um sonho tão antigo”, frisa.

IMPROVISO

Por enquanto, os admiradores do “trapalhão” terão de se contentar com um memorial improvisado. Desde 2008, ele funciona no Centro Cultural Nhô-Quim Drumond, conhecido como Casarão, no Centro de Sete Lagoas. Numa pequena sala fica parte do acervo de Mauro, doado pela família e pela TV Globo. Há roupas usadas por ele, figurinos, retratos, reportagens, discos e as certidões de nascimento e de óbito. Chamam a atenção as famosas perucas de Zacarias.

“Temos a expectativa de que este ano, finalmente, saia um museu à altura do Mauro Gonçalves. Ele e a cidade merecem essa homenagem”, afirma o diretor do Casarão, Leandro Lupiano.

Para lembrar o aniversário do ator, o espaço oferecerá programação especial na segunda-feira, das 8h às 17h30. A agenda prevê visita ao Memorial Zacarias com apresentação de poemas e textos de artistas sobre o conterrâneo. O Casarão fica na Praça Tiradentes, 257. Informações: (31) 3772-3878.


Memória

 

Mauro Faccio Gonçalves nasceu em 18 de janeiro de 1934, em Sete Lagoas. Ator, comediante, humorista e locutor de rádio, ele chegou a trabalhar como vendedor de sapatos e numa fábrica de café. A carreira nos microfones começou em 1954, na Rádio Cultura de Sete Lagoas, no programa humorístico Em Babozal é assim. Em 1957, ele se mudou para Belo Horizonte para estudar arquitetura, mas não concluiu o curso. Trabalhou na Rádio Inconfidência e na TV Itacolomi. Mauro foi descoberto pelo diretor Wilton Franco, do Rio de Janeiro, que o convidou para entrar na TV Excelsior em 1963. Integrante do elenco de A praça da alegria como Caticó, em 1974 foi chamado para integrar Os Trapalhões, a convite de Renato Aragão. Seu doce Zacarias (foto) conquistou o Brasil. Mauro morreu em março de 1990, aos 56 anos, de insuficiência respiratória em consequência de infecção pulmonar. Casado com a atriz Selma Lopes, deixou uma filha e três netos.

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS