Morre aos 49 anos o videoartista Rodrigo Minelli

Professor também foi responsável pela criação de trabalhos experimentais e pela articulação de coletivos e eventos na área de vídeo

por Mariana Peixoto 19/11/2013 08:07

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jair Amaral/EM/D.A Press
Rodrigo Minelli militava no território da invenção e da reflexão crítica sobre os novos campos das artes visuais (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
“Para viver basta nascer, mas e para realmente fazer valer a pena? O que é preciso? Sentir, experimentar, compartilhar e fazer com que nossa existência seja mais do que apenas ordinária.” A frase, cunhada no site de Rodrigo Minelli, resume de maneira simples e direta a trajetória do professor universitário, artista eletrônico e curador. Morto aos 49 anos na madrugada de ontem, em decorrência de um infarto do miocárdio, Minelli foi enterrado na tarde de segunda-feira no Cemitério do Bonfim. Tinha a seu lado seu pai, Luiz Figueira, que morreu no domingo.


Minelli passou mal no sábado, em Tiradentes, cidade onde atuava como superintendente de Cultura da Fundação Rodrigo Mello Franco de Andrade. Também professor do Departamento de Comunicação Social da UFMG, atuava na instalação do câmpus cultural avançado da universidade na cidade colonial. Durante muitos anos foi coordenador de Artes Visuais/Mídia Arte do Festival de Inverno da UFMG. Doutor em semiótica e mestre em sociologia da cultura, Minelli era parte integrante da geração de videoartistas que despontou em Belo Horizonte na década de 1980. Foi ainda um dos responsáveis pela criação do Feito a Mãos, um dos primeiros coletivos audiovisuais de BH, e do arte.mov, precursor festival de mídias móveis.

A última edição do arte.mov foi em 2012. “Havíamos pensado em dar sequência ao festival como um projeto bienal, com a próxima edição em 2014”, afirmou Lucas Bambozzi, que dividia com Minelli a curadoria do evento, referência nacional e internacional na área. O festival, que teve sua primeira edição em 2006, foi cria do Fórum de Mídias Expandidas, o braço audiovisual do Eletronika. “O contexto era de confluência de meios, circuitos e linguagens. Acabamos pensando num festival, um dos poucos de mídia locativa do mundo, que fizesse uso da tecnologia e do espaço público”, continuou Bambozzi, que esteve ao lado de Minelli em boa parte de sua carreira.

FUNDAMENTAL

Estudante de sociologia na UFMG nos anos 1980, Minelli não demorou a se envolver com uma geração de videomakers que fazia suas primeiras experimentações na época. Com 'Hard teevee' (1990), vídeo experimental de animação feito de distorção de xerox, realizado com Isabela Vecci, acabou premiado no Forum BHZ Video. “Esse trabalho foi um dos estímulos para ele continuar no campo”, continua Bambozzi, que atuou ao lado de Minelli na série 'Mug Show', especiais musicais exibidos na TV Minas no final da década de 1980.

“Desde aquela época ele se tornou uma pessoa fundamental para a área do audiovisual”, atesta Marcelo Braga, um dos vários companheiros que Minelli teve no coletivo Feito a Mãos. “O projeto, que começou em 1999, nasceu do desejo de se fazer o deslocamento do trabalho autoral individual para o coletivo.” O músico Ronaldo Gino, que também integrava o FAQ, diz ainda que estava nos planos do coletivo uma reunião para a criação de nova performance.

“Rodrigo foi um dos caras que tinha o olhar de cinema mais encantador que pude conhecer”, continua Gino. Para o professor e curador Eduardo de Jesus, além de sua trajetória de professor, realizador e articulador, Minelli era de uma irreverência só. “Seu jeito era aparentemente rude, ele gostava de se colocar de uma maneira diferente. Mas, no fundo, era uma manteiga derretida.” Minelli era casado com Ana Esther e pai de Rocco, de 9 anos.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS