Comediante Marcos Majella terá programa próprio na TV

Ator será visto ano que vem em três longas-metragens

por Ana Clara Brant 10/11/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fotos: Juliana Coutinho/Divulgação
Na pele do personagem Ferdinando, de Vai que cola, Marcus Majella conquistou público cativo e ganhou páginas nas redes sociais (foto: Fotos: Juliana Coutinho/Divulgação)

Não há um só dia em que o ator Marcos Majella, de 34 anos, não escute: “É 100% egípcio?”. Tudo por conta de um dos seus personagens com maior repercussão no Porta dos Fundos, o canal de humor que é fenômeno na internet. O episódio em questão é o hilariante A cura, em que Majella interpreta Sandrinho, uma figura que é curada por Jesus Cristo. “As pessoas sabem o texto de cor. É impressionante. O Porta dos Fundos conseguiu atingir um público igual ao da novela das oito. Antes, internet era uma coisa meio restrita, mas acho que o nosso trabalho vem conseguindo angariar gente de todas as profissões, idades e classes sociais. Do meu porteiro até a antropóloga mãe de uma amiga. Todos comentam comigo sobre os vídeos”, observa.

Majella acredita que o canal provocou uma verdadeira revolução e que a liberdade proporcionada pela internet é algo único, que não se consegue nem mesmo na TV a cabo. “Tem coisas que ainda não podem ser faladas, feridas que a gente ainda não pode arrancar e tirar casquinha, porque pode sangrar. Quando você trabalha com risco, gera alguma coisa, uma qualidade, e com o Porta dos Fundos a gente está conseguindo isso. Outro dia, uma pessoa comentou comigo que o que estamos fazendo no humor é o mesmo que as pessoas estão fazendo nas manifestações: provocando mudanças. Achei aquilo bem forte e interessante”, ressalta.

Majella e Paulo Gustavo são amigos de longa data e foram colegas no curso de teatro em início de carreira
Nascido em Cabo Frio, na Região dos Lagos fluminense, Majella é um dos nomes de destaque do humor atual, ao lado de Paulo Gustavo e Fábio Porchat, amigos, parceiros e colegas nas aulas de teatro na Casa das Artes de Laranjeiras (CAL), famoso curso de formação de atores no Rio de Janeiro. “É uma feliz coincidência nós três estarmos juntos num momento ímpar da carreira. Ainda mais que já passamos vários perrengues e dificuldades, inclusive financeiras. E até hoje sempre tentamos nos encontrar não só para trabalhar, mas para nos divertir, comer uma pizza. E, quando se juntam os três, é um assédio igual ao da Xuxa (risos). Mas mesmo com toda essa repercussão, temos o pé no chão”, assegura.

No ano que vem, o trio atuará em conjunto pela primeira vez depois dos tempos de estudante na CAL. Porchat estará em alguns episódios da segunda temporada do seriado Vai que cola, do canal pago Multishow, que já conta no elenco fixo com Paulo Gustavo, na pele do trambiqueiro Valdomiro Lacerda, e com Marcus Majella, que interpreta Ferdinando, o impagável porteiro, ou melhor, o concièrge, como o personagem gosta tanto de frisar. “O Ferdinando é uma loucura, algo inexplicável. Nunca ia imaginar que ele e o programa fossem se tornar esse sucesso absoluto. Claro que sabia que se tratava de algo de qualidade, mas virar a atração com maior audiência da TV a cabo nos últimos 10 anos foi muito bacana. Fiquei impressionado como o público gosta do meu personagem. Criaram páginas e páginas nas redes sociais, repetem os bordões. É fantástico”, comemora.

Programa próprio


Aliás, a relação com o Multishow, que começou em 2010, vai de vento em popa. Depois de ter participado de várias produções do canal, como as séries Será que faz sentido?, O barata flamejante e Sensacionalista, do reality Casa bonita, do BBB – A eliminação, além daquele que considera o divisor de águas na sua carreira – o 220 volts, também ao lado de Paulo Gustavo —, agora ele finalmente vai ganhar o seu próprio programa, previsto para 2014. “O Multishow me deu grandes oportunidades e tem investido nessa turma nova do humor. Ainda estamos idealizando e moldando o meu projeto e certamente será um ótimo desafio”, avisa.

E pelo visto não vai faltar trabalho para o próximo ano. Além da nova temporada do Vai que cola e de sua produção exclusiva, Majella estará no cinema, em Minha mãe é uma peça 2, e nos longas-metragens 220 volts e Porta dos Fundos. Sem falar que está confirmadíssimo na peça 220 volts – Só mulheres. “Não tenho como negar um convite do Paulo. Além de ele ser um amigão, esse programa é muito importante na minha trajetória. É inspirado numa relação real, já que, na época em que eu estava pensando em desistir, o Paulo Gustavo me chamou para ser contrarregra nas peças dele. Depois do 220 volts, as coisas finalmente começaram a acontecer”, recorda.

Outra parceria com o companheiro de tantas aventuras é Paulo Gustavo na estrada, espécie de reality show em que as câmeras acompanham o humorista durante suas viagens pelo Brasil com a turnê de seus espetáculos. Um dos 11 episódios da atração, prevista para entrar no ar em abril, foi gravado mês passado em Belo Horizonte e teve a participação especial de Marcus Majella. “Todo fim de semana ele convida um amigo e em BH fui eu. Nós fomos ao Inhotim e fiquei deslumbrado. Fomos também no show do Caetano Veloso, que acabou nos recebendo no camarim no Chevrolet Hall. Foi bem legal. Vou participar também do programa da Dani Suzuki, Vamos rachar, outra novidade do Multishow, em que as pessoas ganham prêmios se acertarem uma série de perguntas. É muito bom o que está acontecendo. Estou com muitos projetos e não posso me queixar”, vibra.

Marcus majella em...


Vídeo

» Porta dos Fundos – YouTube, desde 2012

Televisão

» Será que faz sentido?, Multishow, 2010
» Barata flamejante, Multishow, 2011
» 220 volts, personagem Marquinhos. Multishow; desde 2011
» Big brother Brasil – A eliminação, comentarista. Globo, 2012
» Casa bonita, repórter e jurado. Multishow, 2012 e 2013
» Vai que cola, personagem Ferdinando. Multishow, 2013

Cinema

» Minha mãe é uma peça – O filme, 2013
» Mato sem cachorro, 2013

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS