Bailarino e coreógrafo mineiro estreia trabalho solo neste fim de semana

Considerada por Tuca Pinheiro como stand-up tragedy, espetáculo tem apresentação nesta quinta-feira, no Santa Efigênia

por Carolina Braga 07/11/2013 09:15

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Silas e Banana/divulgação
(foto: Silas e Banana/divulgação)
O bailarino e coreógrafo mineiro Tuca Pinheiro apresenta seu novo trabalho no Fórum Internacional de Dança (FID). 'Hyenna – não deforma, não tem cheiro, não solta as tiras', em cartaz no Espaço Cultural Ambiente, é a segunda criação solo dele. “Estou correndo atrás. Não gosto de zona de conforto”, avisa o artista.

















A proposta de 'Hyenna...' não se resume ao intérprete sair da zona de conforto, mas fazer com que o público reconsidere posturas cômodas diante de criações artísticas. Recomendado para maiores de 18 anos, esse espetáculo tem cheiro, além de falar sobre restos.

“Estamos vivendo assim: de restos sociais, amorosos. Com os meus restos criei um trabalho”, resume Tuca Pinheiro. O espetáculo renega parâmetros consolidados na dança contemporânea à procura de um caminho original.

Hyenna... é definido pelo coreógrafo como stand-up tragedy. “Quando comecei o trabalho, pensei: quero que a minha dança morra”, diz Tuca, para quem a ditadura de projetos e leis de incentivo tem transformado a arte em uma prática assertiva – o que, em essência, não deveria ocorrer. “Estamos eficientes demais”, critica.

HYENNA – NÃO DEFORMA, NÃO TEM CHEIRO, NÃO SOLTA AS TIRAS

Espaço Cultural Ambiente. Rua Grão Pará, 185, Santa Efigênia, (31) 3241-2020. De hoje a domingo, às 20h. Ingressos: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia-entrada).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS