Série do EM, 'MBP, Música Brasileira Popular' vence categoria Reportagem Cultural do Prêmio Petrobras

Com especial sobre grandes nomes da música, Ana Clara Brant encabeça a lista de 34 ganhadores da primeira edição do troféu, que premia os melhores do jornalismo. Jornal leva também troféu regional com a reportagem 'Jornalistas assassinados no Vale do Aço', de Mateus Parreiras e Luiz Ribeiro

por Sandra Kiefer 15/10/2013 07:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Na comemoração dos 60 anos da estatal, o nome de Ana Clara Brant, repórter de Cultura do Estado de Minas encabeçou a lista dos 34 ganhadores da primeira edição do Prêmio Petrobras de Jornalismo. Ela assinou a série de reportagens intitulada “MBP, Música Brasileira Popular”, publicada em maio, contando um pouco da trajetória de personalidades artísticas, como o goiano Odair José, os fluminenses Benito di Paula e Luiz Ayrão e o mineiro Agnaldo Timóteo. Em outras palavras, nomes que conquistaram público nos anos 1970 falando de amor e de problemas sociais. Alguns desses cantores e compositores sofreram muito preconceito de críticos e jornalistas e chegaram a ser tachados de bregas ou cafonas, rótulo que boa parte deles rejeita.

A série de matérias concorreu com um grande número de inscrições, sendo finalista na categoria Reportagem Cultural publicada em jornais e revistas. Ex-repórter de suplementos de Cultura do Correio Braziliense em 2007, Ana Clara teve a oportunidade de fazer várias coberturas de destaque, como a série sobre a transposição do Rio São Francisco, que gerou um caderno especial com grande repercussão em todo o país. E também a morte do Rei do Pop, Michael Jackson, que foi seu primeiro trabalho na editoria de Cultura daquele jornal.

Ao todo, foram 1.179 trabalhos inscritos, entre maio e julho deste ano, contemplando todas as regiões do país. Jornalistas e repórteres fotográficos de revistas, jornais, rádios, emissoras de televisão e portais de notícias disputam 35 prêmios, que vão distribuir R$ 444 mil para as melhores reportagens relacionadas a esporte, cultura, responsabilidade socioambiental, petróleo/gás e energia e fotojornalismo.

Na categoria regional, o prêmio de reportagem com o tema “Responsabilidade socioambiental do Norte, Centro-Oeste e Minas Gerais” saiu para a série de matérias denominada “Rede de corrupção no seguro da pesca”, dos repórteres Mateus Parreiras e Luiz Ribeiro. Publicadas em fevereiro no caderno Gerais, as matérias revelaram a existência de uma rede de corrupção em torno da bolsa-pesca, que deveria ser destinada exclusivamente a sustentar pescadores artesanais no período de reprodução das espécies, mas acaba engordando os bolsos de políticos, comerciantes e até religiosos.

Este ano, o repórter Mateus Parreiras, em trabalho de equipe com o Gerais, venceu a categoria Especial do Prêmio Vladimir Herzog, com a reportagem “Jornalistas assassinados no Vale do Aço”. Parreiras, Luiz Ribeiro e Ana Clara Brant participam da cerimônia de entrega dos troféus, no Rio de Janeiro, no dia 22.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS