Autor norte-americano Tom Clancy deixa legado para a ficção de espionagem

Escritor faleceu aos 66 anos, deixando obras que deram origem à série de games 'Splinter Cell'

por AFP 02/10/2013 19:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
REUTERS/Eric Miller
Tom Clancy, autor de livros que inspiraram os games 'Splinter Cell', morreu aos 66 nos EUA (foto: REUTERS/Eric Miller)
Tom Clancy, escritor americano de romances de espionagem, morreu aos 66 anos, informou nesta quarta-feira o jornal New York Times. O romancista escreveu, entre outros sucessos, "A soma de todos os medos", "A caçada ao outubro vermelho" e "Jogos patrióticos".

O jornal Baltimore Sun afirmou que Clancy, nativo de Maryland, morreu na terça-feira, no hospital John Jopkins, após uma breve doença. Clancy ambientou seus romances no contexto da Guerra Fria, focando na espionagem e tecnologia militar com grande atenção aos detalhes.

Batizado Thomas Lanier Clancy Jr, o escritor estudou literatura inglesa antes de converter-se em vendedor de seguros. Depois de fracassar em sua tentativa de unir-se às Forças Armadas por problemas de vista, começou a escrever. "A diferença entre ficção e realidade é que a ficção tem que fazer mais sentido", afirmou ele certa vez.

Clancy também deixou seu nome ligado a uma série de videogames, incluindo "Tom Clancy's Splinter Cell: Blacklist", lançado em agosto. Republicano declarado, Clancy também era coproprietário do time de beisebol Baltimore Orioles.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS