Grupo americano Pilobolus traz 'Shadowland' ao Palácio das Artes

A peça leva o espectador a uma viagem às infinitas possibilidades de formas que podem surgir a partir das sombras

por Estado de Minas 06/09/2013 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
John Kane/Divulgação
(foto: John Kane/Divulgação )
Quem for ao Palácio das Artes para ver o grupo americano Pilobolus encontrará no palco uma tela branca. O que se passará naquele espaço pode até remeter, em certo sentido, ao cinema. É mesmo uma pista, já que a proposta do grupo, criado em 1971, mistura várias técnicas. 

'Shadowland', o espetáculo em cartaz sábado e domingo, é uma viagem às infinitas possibilidades de formas que podem surgir a partir das sombras. Usando apenas o corpo e alguns adereços, os artistas são capazes de transportar os espectadores até os sonhos da protagonista. Ela é uma adolescente em busca da liberdade, durante um onírico passeio pela madrugada.

A Pilobolus Dance Theatre sempre se destacou por misturar técnicas da dança e do teatro com modalidades esportivas como a ginástica. Os idealizadores foram Robby Barnett, Alison Becker Chase, Martha Clarke, Lee Harris, Moses Pendleton, Michael Tracy e Jonathan Wolken. Do primeiro time, permanecem apenas Barnett e Tracy. Eles são os responsáveis pela criação das coreografias em colaboração com os intérpretes.

Ao longo da carreira, a Pilobolus foi responsável por mais de 100 coreografias, apresentadas em 64 países. Um dos eventos de maior projeção dos quais o grupo participou foi a cerimônia do Oscar, em 2007. A técnica das sombras foi justamente a escolhida para apresentar cenas dos filmes concorrentes naquele ano, como o vencedor, 'Os infiltrados', de Martin Scorcese, e também o leve e divertido 'Pequena Miss Sunshine'.

Uma das características mais fortes de todos os trabalhos da companhia é a interação dos corpos. O contorcionismo dos intérpretes impressiona as plateias do mundo. Eles são capazes de criar imagens de diversos tamanhos e tipos, sem outro recurso que não a própria forma física. Apesar de contar uma história, não há diálogos, apenas a trilha sonora original do espetáculo, criada pelo norte-americano David Poe.

Confira o vídeo de divulgação do espetáculo:



SHADOWLAND
Sábado, às 21h; domingo, às 19h
Local: Grande Teatro do Palácio das Artes, Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro
Plateia 1: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia); plateia 2: R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia); filas A a E, R$ 50 (conforme instruções Ministério da Cultura, valor fixo sobre o qual não se aplicam descontos e meia- entrada para estudante); filas F a J, R$ 20 (valor exclusivo para estudantes, sobre o qual não se aplicam descontos e meia-entrada).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS