Exposição de fotografia traz a produção de artistas mineiros

São três as margens que podemos divisar é aberta hoje, na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa

por Sérgio Rodrigo Reis 17/08/2013 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Gui Machala/Divulgação
Gui Machala apresenta na coletiva a série Eterno adeus (foto: Gui Machala/Divulgação)
 

A exposição São três as margens que podemos divisar é boa oportunidade para conferir a produção fotográfica atual de artistas mineiros. Aberta hoje, na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, a coletiva reúne as séries A casa da infância, de Myriam Vilas Boas; Relicário, de Ícaro Moreno; e Eterno adeus, de Gui Machala. Cada um dos ensaios segue uma pesquisa bem peculiar.

Gui Machala tem como inspiração a temporalidade das experiências e sua relação com a dimensão imagética. Já Myriam Vilas Boas trabalha com a memória, deslocando a relação do presente e do passado para o campo da representação usando a fotografia como suporte. Por fim, Ícaro Moreno discute em sua pesquisa a não visibilidade da imagem como vetor de significação por meio de uma experiência de perda.

As três propostas estéticas têm como base a fotografia, mas dialogam também com outras mídias. Eles partem dessa linguagem para explorar outros campos como o vídeo, o texto, a música e mesmo objetos como uma câmera convencional.

O artista plástico Ícaro Moreno, por exemplo, desenvolveu um trabalho a partir de imagens que coletou do pai, quando estava em seu leito instantes antes de morrer. “Decidi não ver as imagens e ‘lacrar’ a câmera. Vou apresentá-la assim, com um texto explicando todo o processo”, adianta. Segundo ele, os três trabalhos apresentados partiram de um mesmo tema: o tempo. Os artistas, que já se conheciam, começaram a criar e o resultado foi inscrito na seleção pública da galeria.

São três as margens que podemos divisar

Coletiva dos artistas Gui Machala, Ícaro Moreno e Myriam Vilas Boas. Até dia 30, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e aos sábados, das 8h às 12h, na Galeria de Arte Paulo Campos Guimarães da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa (Praça da Liberdade, 21, Lourdes). Entrada franca.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS