Veteranos sambistas de BH inspiram exposição de fotografia na Galeria de Arte do BDMG Cultural

Esta noite, vernissage terá show de bambas e surpresa para o público

por Ana Clara Brant 08/08/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fotos: Elmo Alves/divulgação
A cantora Donelisa (foto: Fotos: Elmo Alves/divulgação)
Depois de estrelar o documentário 'Roda', a Velha Guarda do Samba de Belo Horizonte virou tema da exposição fotográfica que será aberta hoje à noite, na Galeria de Arte do BDMG Cultural. O simpático grupo de bambas chamou a atenção do fotógrafo Elmo Alves, que fez questão de registrar 18 deles em seu estúdio. O resultado são belas imagens em preto e branco.


'Roda' foi dirigido por Carla Maia e Raquel Junqueira, com produção executiva e pesquisa assinadas pelo historiador Marcos Valério Menezes Maia. Assim que Elmo assistiu ao documentário, encantou-se com os músicos e sua história. Por acaso, acabou chegando ao local onde os sambistas se reuniam, o Centro Cultural UFMG, na Praça da Estação.

“O carinho com que eles me receberam me impressionou. Você percebe que todos têm passado muito forte e tentam preencher uma lacuna. Nunca deixaram o samba se calar e de ter sua própria identidade. Muita gente desconhece que BH tem samba e sambistas de qualidade”, comenta.

O próprio Elmo Alves passou a acompanhar de perto a trajetória desses veteranos da batucada. Vira e mexe, depara com algum deles pela noite da capital. “Minha exposição é apenas uma forma de reconhecer essas pessoas. Elas merecem muito mais”, frisa.

Entre os artistas retratados pelas lentes de Elmo Alves está Lúcia Santos, presidente da Associação Velha Guarda da Faculdade do Samba. A cantora destaca o documentário e a exposição como exemplos de que, aos poucos, antigos sambistas começam a ser valorizados. “A gente só tem a agradecer ao Elmo e aos responsáveis pelo 'Roda', porque eles ajudam a nos pôr em evidência. Não podemos parar”, diz ela.

Lúcia tem esperança de que essa visibilidade traga reconhecimento para os sambistas – pelo menos em Belo Horizonte e em Minas Gerais. “O pessoal daqui tem mania de só dar valor ao que vem de fora. Isso precisa mudar”, critica a cantora.

A noite de festa não vai se limitar à abertura da exposição de fotografias. Quem for à Galeria de Arte do BDMG Cultural será brindado com apresentação especial da Velha Guarda. Cada um deles cantará destaques do respectivo repertório – boa parte dele autoral. Para o fim do show está programada uma surpresa.

“Enquanto a mostra estiver em cartaz, o documentário Roda será exibido na galeria. Assim, o público poderá conhecer um pouco mais sobre os artistas”, informa Elmo Alves.

VELHA GUARDA DO SAMBA DE BH
Fotos de Elmo Alves. Abertura nesta quinta-feira, às 19h. Galeria de Arte do BDMG Cultural (Rua Bernardo Guimarães, 1.600, Lourdes). O espaço funciona diariamente, das 10h às 18h. Em cartaz até dia 25. Hoje, a partir das 20h, tem show da Velha Guarda do Samba de Belo Horizonte, no pátio da galeria.  Entrada franca. Informações: (31) 3219-8691.

Personagens da notícia

OS BAMBAS DE BH

Direto da Lagoinha

A exposição reúne fotos de Ademir, Carlos, Clélia, Doneliza, Hélio Pereira, Jadir Ambrósio, João Saraiva, Juarez de Araújo, Lagoinha, Lucinha Bosco, Mandruvá, Mauro Saraiva, Mestre Conga, Misael do Cavaco, Paulo Santos Reis, Plínio Saraiva, Sílvio Luciano e Tomás José (Pepe). Vários desses bambas viveram na Pedreira Prado Lopes, na Lagoinha, o berço do samba na capital. Na lendária Vila Buraco Quente, foi criada a primeira escola de samba de BH.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS