Paulo Schmidt apresenta obras na exposição '[ars amatoria]', na Galeria de Arte da Cemig

Mostra fica em cartaz até o dia 1º de agosto

por Walter Sebastião 11/07/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Daniel Mansur/Divulgação
(foto: Daniel Mansur/Divulgação)
Paulo Schmidt, autor das obras que serão apresentadas na exposição '[ars amatoria]' – arte de amar, em latim – a partir desta quinta-feira, na Galeria de Arte da Cemig, em vez de falar sobre as peças que estarão na mostra prefere destacar a malha de elementos e informações que estão na origem delas. Cada trabalho articula, sem linearidade, fotos de objetos, alguns dos objetos que estão nas fotos e legendas, além de ser evocação a criações de outros artistas.

O interesse, continua Paulo Schmitd, é, com clareza, explicitar o que surge do encontro dos elementos, instigar leituras e releituras das imagens, multiplicar associações vindas inclusive pela aproximação das várias obras. “É jogo, enigma, reflexão sobre cópia, origem, relações, arte, veiculação, afetos”, afirma. “Uso o amor para falar da complexidade do mundo contemporâneo. Amor é complexo. Fala-se dele há séculos, mas continua sem certo ou errado, sem modelos. O que existe são naturezas e verdades humanas”, observa. E sugere que a arte é algo com o mesmo perfil.

Os trabalhos que estão na exposição foram realizados entre 2004 e 2013. E é a mais extensa apresentação de pesquisa realizada de forma metódica e rigorosa. “Não é série encerrada”, avisa Schmidt. Os objetos fotografados estão ligados à história do artista, mas ele conta que não se trata de mostra autobiográfica. “São peças que, de modo simbólico, versam sobre possibilidade e interdições, pontuando questões emocionais, intelectuais e psíquicas”, observa. Ele enfatiza que as peças sempre conjugam vários planos. É parte do projeto sugestão de páginas de um catálogo ou publicação com esse perfil.

O tema da relação entre coisas e dos afetos não é estranho à obra do artista. Paulo Schmidt já fez mostra individual com o nome Afinidades eletivas e foi curador da exposição Traços de afetos. O artista explica que não se trata de exposição de fotografia e situa as produções no campo das pesquisas tridimensionais. Estão nas peças jogos com a escala, conta, e o fato de serem fotos só enriquece a discussão dos objetos.

[ARS AMATORIA]
Abertura nesta quinta-feira, às 20h, de mostra de trabalhos de Paulo Schmitd. Galeria de Arte do Espaço Cultural da Cemig, Avenida Barbacena, 1.200, Santo Agostinho. Aberta diariamente, das 8h às 19h. Até 1º de agosto.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS