Dirigida por Jô Soares, 'Atreva-se' busca inspiração na sétima arte

No espetáculo, Mariana Santos interpreta lanterninha de cinema

por Carolina Braga 28/06/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Priscila Prade/divulgação
(foto: Priscila Prade/divulgação )
Quem for ao espetáculo 'Atreva-se', dirigido por Jô Soares, deve se preparar: recomenda-se deixar guardadinha em casa aquela ânsia de entender tudo. “É para curtir junto com a gente”, convida a atriz Mariana Santos. Com os atores Marcos Veras, Julia Rabello, Mariana e Carol Martin, a comédia faz homenagem ao cinema noir dos anos 1920 a 1960.


Escrita por Maurício Guilherme, a peça se divide em quatro sequências. Todas elas se passam no interior de uma mansão. “As tramas são misteriosas e estão entrelaçadas”, conta Mariana. Na primeira parte, um corretor de imóveis mostra a residência para a empolgada cliente, enquanto esconde o passado sinistro do imóvel. Em outra, o público se diverte com as inseguranças do patrão diante da sóbria governanta. Há também história macabra envolvendo primos e, por fim, novas descobertas sobre a mansão.

Às vezes tachada de comédia nonsense, 'Atreva-se' vai além disso. “A peça pretende mostrar as emoções extremadas da condição humana, aqui ampliadas em dobro pela tentativa de recriar uma linguagem cinematográfica do passado no palco de um teatro e pela ótica exagerada da própria comédia”, explica o autor.

Enquanto Veras, Júlia e Carol se revezam no palco, Mariana representa a lanterninha do cinema. Boa parte das cenas se passa no meio da plateia, cabendo a ela tentar explicar – ou complicar um pouco mais – os detalhes da trama.

A ideia é oferecer ao espectador a sensação de frequentar uma sala de cinema do passado. Por isso, Jô Soares optou por ambientes em preto e branco. A iluminação de Maneco Quinderé e a cenografia de Chris Aizner reforçam essa escolha do diretor.

Outro destaque é a trilha sonora de Eduardo Queiroz. “A música é parte importante desse espetáculo. Ela ajuda a contar a história e a criar o clima da peça”, conclui Mariana Santos.

ATREVA-SE
Nesta sexta-feira e sábado, às 21h; domingo, às 20h. Teatro Bradesco, Rua da Bahia 2.244,  Lourdes, (31) 3516-1027. Ingressos: R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia-entrada).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS