Companhia Brasileira de Ballet apresenta 'Giselle' no Grande Teatro do Sesc Palladium

Criado no século 19, clássico encanta plateias contemporâneas

por Ana Clara Brant 27/06/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Amir Sfair Filho/divulgação
(foto: Amir Sfair Filho/divulgação)
'Giselle', a mais famosa coreografia dramática do repertório romântico, será encenada nesta quinta e sexta em BH pela Cia Brasileira de Ballet. Com música do francês Adolphe Charles Adam, essa obra do século 19 conta a história de donzelas que morriam às vésperas do casamento devido à infidelidade dos futuros maridos. Para se vingar deles, espíritos das garotas enterradas na floresta se materializam entre a noite e o início das manhãs.


“Diferentemente de balés como 'O lago dos cisnes' e 'O quebra-nozes', 'Giselle' tem grande carga emocional. Exige muita técnica e expressividade por parte de todos, pois conta um grande drama”, explica Jorge Teixeira, diretor da Companhia Brasileira de Ballet.

Para se ter uma ideia, na cena final do primeiro ato, que representa a loucura da protagonista, praticamente não há passos de balé. Teixeira ressalta que isso exige bastante do artista. “É um momento totalmente teatral. Além de exímio bailarino, ele deve ser exímio ator”, destaca.

O espetáculo será apresentado por 46 jovens bailarinos, parte deles integrante do projeto social e artístico da companhia, além de argentinos, chilenos e paraguaios. Luciana David e Melissa Oliveira vão se revezar como a protagonista, enquanto Gustavo Carvalho e Mozart Mivuyama farão o papel do príncipe Albrecht.

SOLO Fiel ao texto original de Jean Corali e Jules Perrot, à trilha sonora de Adolphe Adam e ao libreto de Théophile Gautier e Vernoy de Saint-Ge, Jorge Teixeira está feliz em preparar a companhia para uma montagem complexa como essa. “Buscamos uma versão com mais exigências técnicas, que desse a oportunidade a nossos bailarinos de mostrar seu talento e virtuosismo. Nosso 'Giselle' tem quantidade maior de solos”, comenta.

Com o propósito de transportar o espectador para a Alemanha do século 19, o figurino foi criado exclusivamente para a companhia pelo Ateliê Tânia Agra, o único especializado em dança no Brasil.

A iluminação foi criteriosamente estudada para reproduzir no palco o clima de uma aldeia de camponeses, além de ressaltar a intensidade do amanhecer e da noite fechada – fundamentais para se compreender a obra.

“O público verá um trabalho de nível internacional tanto no quesito artístico quanto no quesito produção. Obra imortal, Giselle revela os grandes talentos. O bailarino tem que ser completo”, conclui Jorge Teixeira.

GISELLE

Com Cia. Brasileira de Ballet. Quinta-feira e sexta-feira, às 20h30. Sesc Palladium, Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro. Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia), à venda na bilheteria e pelo site www.ingresso.com. Informações: (31) 3214-5350.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS