Alexandre Marino autografa o livro 'Exília' em Belo Horizonte

Um dos nomes de ponta da literatura 'mano a mano' na capital, ele escreve sobre a sua relação com Brasília

por Carlos Herculano Lopes 21/06/2013 07:43

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

João Neto/divulgação
O mineiro Alexandre Marino criou o título de seu livro juntando as palavras exílio e Brasília (foto: João Neto/divulgação)
O desconforto e o isolamento diante do mundo, nesta época de massificação e desvalorização da identidade, é o tema de Exília, sexto livro de poemas de Alexandre Marino, que será lançado neste sábado, em Belo Horizonte. Mais que sessão de autógrafos, o evento se transformará em agradável encontro de amigos, pois o autor, nascido em Passos, no Sul de Minas, morou na capital de meados da década de 1970 a 1982.


Um dos precursores da literatura independente em BH, numa época em que o país vivia mergulhado na ditadura militar, Alexandre Marino vendeu seu livro de estreia, Os operários da palavra, de mão em mão em bares e espaços culturais da cidade. Entre outros, faziam parte desse movimento os escritores João Batista Jorge, Thaís Guimarães, José Wilson Barbosa e Antônio Barreto, também nascido em Passos. Com o segundo livro, Todas as tempestades, Marino trilhou o mesmo caminho.


Já formado em jornalismo e publicidade pela PUC Minas, o poeta se mudou para Brasília em busca de novas oportunidades. Radicado na capital federal, envolveu-se com outros projetos e só voltou a publicar poesia em 1999, com o livro O delírio dos búzios, seguido por Arqueolhar (2005) e Poemas por amor (2007).

Coletânea A primeira versão de Exília foi concluída em 2009, mas Alexandre Marino continuou trabalhando nos versos e só agora decidiu publicá-los. Funcionário do Ministério da Educação, conta que a ideia de escrever Exília surgiu quando começou a pensar em temas para uma nova coletânea, aproveitando poemas dispersos.


“Lendo-os com atenção, percebi que tinham algo em comum: certa inquietação que não havia identificado muito bem. Debrucei-me sobre aqueles textos e notei o mal-estar do exilado, do sujeito fora do lugar, como era o meu caso”, conta ele.
O título, explica Alexandre Marino, surgiu a partir da associação de duas palavras: exílio e Brasília. O novo livro é fruto de projeto contemplado pela bolsa de criação literária concedida pela Funarte em 2008. Por meio dele, o poeta avança do ingênuo protesto inicial, próprio da juventude, para a poesia mais elaborada e madura.

"Notei o mal-estar do exilado, do sujeito fora do lugar, como era o meu caso" - Alexandre Marino, escritor

Dobra Literatura/reprodução
(foto: Dobra Literatura/reprodução)
EXÍLIA
l De Alexandre Marino
l Editora Dobra Literatura
l Lançamento neste sábado, das 11h às 14h, na Livraria Mineiriana (Rua Paraíba, 1.419, Savassi). Informações: (31) 3223-8092.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS