Livro recupera a trajetória de Celso Garcia, artista que fez sucesso em BH como autor de marchinhas e jingles

Dono de ótica que levava seu nome, Celso Garcia trabalhou nas principais rádios da cidade

por Carlos Herculano Lopes 20/06/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Arquivo Pessoal
(foto: Arquivo Pessoal )
Um dos nomes mais conhecidos do rádio mineiro nas décadas de 1950 e 60, cantor, compositor e criador de jingles publicitários famosos, como o que fez para a Loja Abdala (“O Abdala é fogo na roupa, ninguém sabe a fama que ele tem, eu não me chamo Abdala, mas sou fogo na roupa também”), que estourou na cidade e acabou virando marchinha de carnaval, a vida e a obra de Celso Garcia acabam de ser registradas no livro 'Não há entre nós um paralelo – Celso Garcia: vida, casos e fatos' (Alis Editora, 130 páginas, R$ 50). Organizado por sua filha, a historiadora Regina Belisário, o lançamento será quinta-feira, no Clube Palmeiras, em Belo Horizonte.

Graduada em história pela UFMG e autora de várias coleções didáticas para alunos dos ensinos médio e fundamental, Regina conta que a ideia de escrever o livro surgiu numa tarde de quinta-feira, quando tomava um café com a família. Começaram a falar do pai, do artista que foi Celso Garcia, e então ela pensou em deixar tudo registrado. “Durante mais de 50 anos ele contribuiu para a cultura de Belo Horizonte e eu, como historiadora, não poderia deixar que isso se perdesse no tempo”, conta.

Nascido em Ponte Nova, na Zona da Mata mineira, onde desde a infância já demonstrava pendores artísticos, Celso Garcia veio com a família para Belo Horizonte aos 13 anos. Logo em seguida, começou a cantar em programas de calouros nas rádios Mineira e Guarani, onde ganhou prêmio num programa dirigido por Rômulo Paes. Foi o início do sucesso, que se traduziria mais tarde, além dos jingles famosos feitos para as principais casas de comércio de BH, também em várias composições, como 'Santa Tereza', 'Açucena cheirosa', 'Praça Vaz de Melo', entre tantas outras.

Apaixonado pelo América, pelo qual chegou a ser campeão de natação, Celso Garcia foi ainda comerciante de sucesso em BH, onde durante anos manteve uma ótica que levava o seu nome. Passou também pelas rádios Itatiaia, Inconfidência e pela TV Itacolomi, além de ter participado da campanha de JK para a Presidência da República. Além da trajetória pessoal, o livro traz ainda vasto material fotográfico, no qual estão documentados alguns dos momentos mais importantes da vida do personagem, que morreu em 2002, aos 77 anos.

Reprodução
(foto: Reprodução)
Não há entre nós um paralelo – Celso Garcia: vida, casos e fatos

Lançamento do livro de Regina Belisário. Nesta quinta-feira, das 19h às 22h, na Sociedade Recreativa Palmeiras, Rua Grão Pará, 589, Santa Efigênia. Informações: (31) 3225-1197.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS