Leitores e escritores 'trocam figurinhas' durante eventos do Fórum das Letras

Clima de confraternização marca eventos da nova edição do fórum

por Carlos Herculano Lopes 01/06/2013 10:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fórum das Letras/divulgação
Debate com André Nigri, Affonso Romano de Sant'Anna, Ângela Lago e Fernando Pinto do Amaral (foto: Fórum das Letras/divulgação )

A interação entre público e escritores marca o 9º Fórum das Letras, que será encerrado amanhã, em Ouro Preto. Leitores – sobretudo jovens – prestigiam animadamente mesas- redondas, bate-papos e rodas de conversa.

No Cine Vila Rica, a palestra sobre as origens da poesia, a cargo dos escritores brasileiros Affonso Romano de Sant’Anna e Angela Lago e do autor português Fernando Pinto do Amaral, com mediação do jornalista André Nigri, “escapuliu” do tema para se transformar em um daqueles "dedos de prosa" típicos da gente de Minas.

Bem-humorado, Affonso Romano de Sant’Anna, depois de falar sobre seu processo de criação e de sua intimidade com a obra de Carlos Drummond de Andrade, chegou a declamar versos e ganhou muitos aplausos. Aproveitando o embalo, Angela Lago, com sua voz suave, emocionou o público ao contar causos sobre o caroço do tucumã, história resgatada pelo folclorista diamantinense Couto de Magalhães no século 19, durante suas andanças pelo Brasil. O português Fernando Pinto do Amaral não poupou elogios a Ouro Preto. "Cidade encantadora", afirmou.

Um leitor quis saber de Affonso as maiores dificuldades de um escritor. "É descobrir a própria voz, pois a gente sempre começa sob os auspícios de algum mestre. Só depois, com muito trabalho – se tivermos sorte –, poderemos ou não ter voz própria. Até hoje estou procurando a minha", confessou o poeta, ensaísta e professor universitário, provocando gargalhadas na plateia.

Imprensa

A programação prossegue hoje com várias atividades. Às 10h, na Estação Ferroviária, o romancista Antonio Torres fala de sua trajetória. Às 10h30, no Grêmio Literário Tristão de Ataíde, os rumos da reportagem serão discutidos pelos jornalistas Danilo Venticinque, Ivan Marsiglia e Audálio Dantas. A imprensa volta à berlinda às 19h30, no Cine Vila Rica, em palestra dos jornalistas Mino Carta e Maurício Dias.

Amanhã, o encerramento do fórum terá agenda cheia. Às 10h, a tradicional Chuva de poesia, na Igreja do Pilar, faz homenagem ao poeta Affonso Ávila, que morreu em setembro do ano passado. Como sempre, o poeta Guilherme Mansur comanda o happening.

Às 17h, no Cine Vila Rica, a palestra "Diaspóra africana como origem literária" reunirá os escritores Elisa Lucinda e Nei Lopes. Às 20h30, o Recital à brasileira fecha a nona edição da festa literária ouro-pretana, na Casa da Ópera.

*O repórter viajou a convite da organização do Fórum das Letras

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS