Quadro de Portinari alcança US$ 1,4 milhão em leilão na Christie's

Venda de obra do artista paulista confirma o bom momento da arte brasileira no mercado internacional

31/05/2013 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Carlo Allegri/Reuters
'Meninos soltando pipas' ficou exposto na Christie%u2019s Auction House, em Nova York (foto: Carlo Allegri/Reuters)
Nova York – Uma lúdica pintura de crianças soltando papagaios do brasileiro Cândido Portinari (1903-1962) foi vendida por US$ 1,4 milhão em leilão de arte latino-americana na Christie’s, estabelecendo um novo recorde para o artista.

O quadro 'Meninos soltando pipas' (1941) foi o mais caro do pregão de quarta-feira à noite, realizado em Nova York, que totalizou US$ 16 milhões e estabeleceu novos padrões de referência para artistas latino-americanos.

“A força do mercado brasileiro reinou suprema”, declarou Virgilio Garza, chefe de arte latino-americana da Christie’s. Portinari deixou prolífico legado nos Estados Unidos, incluindo murais monumentais para a Biblioteca do Congresso e a sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York.

A estátua de bronze Dancers, criada em 2000 pelo colombiano Fernando Botero e vendida por US$ 1,14 milhão, aparece entre as grandes vendas da Christie’s nesta semana. 'Mujeres con frutas', do mexicano Alfredo Ramos Martínez, foi negociado por US$ 1,07 milhão.

 O brasileiro Milton Dacosta também atingiu recorde na quarta-feira: o óleo sobre tela 'Figura' alcançou US$ 171,5 mil. Outro destaque foi Alfredo Volpi: sua obra Fachada alcançou US$ 783,75 mil; Bandeirinhas horizontais com mastro chegou a US$ 651,75 e Bandeirinhas com mastro a US$ 507,75 mil.

Phillips/reprodução
Obra de Lygia Clark foi vendida este mês (foto: Phillips/reprodução )
Recorde


A valorização da obra de Portinari veio reforçar a boa performance da arte brasileira no mercado internacional. No dia 23, a obra 'Contra relevo (Objeto nº 7)', da mineira Lygia Clark (1920-1988), foi vendida por US$ 2,225 milhões em pregão promovido pela casa de leilões Phillips, em Nova York. Esperava-se obter de US$ 600 mil a US$ 800 mil por esse trabalho.

Em novembro do ano passado, 'Meu limão' (2000), obra de Beatriz Milhazes, foi arrematada por US$ 2,1 milhões na Sotheby’s, em Nova York. Milhazes é a recordista entre os colegas brasileiros vivos.

Em 2011, 'Parede com incisões à La Fontana II' (2001), de Adriana Varejão, foi vendida na Christie’s de Londres por US$ 1,7 milhão. O recorde anterior pertencia a Beatriz Milhazes, que em 2008 alcançou US$ 1,049 milhão pelo quadro 'O mágico' (2001) em leilão na nova-iorquina Sotheby’s.

 

Em alta

 

US$ 2,2 milhões - 'Contra relevo', de Lygia Clark

US$ 2,1 milhões - 'Meu limão', de Beatriz Milhazes

US$ 1,7 milhão  - 'Parede com incisões à La Fontana II', de Adriana Varejão

US$ 1,4 milhão  - 'Meninos soltando pipas', de Candido Portinari

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS