Escritor Luiz Vilela é o convidado desta edição do projeto Ofício da palavra

Evento é boa oportunidade para conversar com o autor, que costuma ser recluso e avesso às badalações

28/05/2013 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pauliane Amaral/Arquivo GPLV
O escritor Luiz Vilela conversa com o público no Museu de Artes e Ofícios (foto: Pauliane Amaral/Arquivo GPLV )
Luiz Vilela vai trocar – pelo menos nesta terça-feira– o sossego de Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, pela agitação de BH para participar do projeto Ofício da palavra, às 19h30, no Museu de Artes e Ofícios (Praça da Estação, Centro).

Contista e romancista celebrado, um dos mestres da literatura brasileira, o mineiro ganhou a fama de recluso e avesso às badalações do mundinho cultural. Mas ele contesta tal mito, lembrando que vem participando de eventos literários em várias partes do país.

A chance de vê-lo ao vivo é imperdível. Quem quiser “compartilhar” com Vilela – que não usa celular nem computador e escreve seus livros à mão – pode acessar o blog Grupo de Pesquisa Luiz Vilela (www.gpluizvilela.blogspot.com.br). Repleto de notícias sobre o autor dos clássicos 'No bar' e 'Os novos', o bem cuidado espaço virtual traz notícias, teses e dissertações sobre a obra do mineiro, além de entrevistas.

Nascido em 1942, Luiz Vilela trabalhou como jornalista em BH e em São Paulo na década de 1960. É um dos destaques da famosa “geração Suplemento”, que reuniu jovens autores em torno do Suplemento Literário do Minas Gerais, criado por Murilo Rubião em 1966. Estreou em 1967 com 'Tremor da terra'. Seu último livro é o romance 'Perdição' (2011).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS