Feira de Paraty anuncia novos nomes e confirma opção por edição menos popular

Programação terá presença de profissionais de outras áreas, como arquitetura e artes

24/05/2013 08:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
JOEL SAGET/AFP
O escritor francês Michel Houellebecq é a principal atração da feira de Paraty, de 3 a 7 de julho (foto: JOEL SAGET/AFP)
A 11ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) será menos pop, mais cabeça, com autores experimentais, e mais interdisciplinar, incluindo mesas com arquitetos, historiadores de arte, cineastas e músicos. A programação completa foi anunciada ontem, no Rio. A principal atração da Tenda dos Autores na festa, de 3 a 7 de julho, em Paraty (RJ), será o francês Michel Houellebecq, vencedor do Prêmio Goncourt e autor de 'A carta e o território' (Record), que, em 2011, chegou a confirmar presença na Flip, mas acabou cancelando a participação.

Entre os nomes que ainda não haviam sido anunciados estão o americano Tobias Wolff, que dividirá mesa com o norueguês Karl Ove Knausgard, e o escritor e editor italiano Roberto Calasso, em debate com a filósofa suíça radicada no Brasil Jeanne Marie Gagnebin.

O irlandês John Banville, vencedor do Man Booker Prize 2005 por 'O mar' (Nova Fronteira) e que lança pela Globo o romance 'Luz antiga', dividirá mesa com a contista americana Lydia Davis, anunciada ontem vencedora do Man Booker Prize Internacional 2013, e cuja obra, 'Tipos de perturbação', foi lançada recentemente pela Companhia das Letras.

Na área de arquitetura, haverá um debate entre o americano Paul Goldberger e o português Eduardo Souto de Moura, vencedor do prestigioso Prêmio Pritzker 2011. Em outra mesa, o historiador de arte T.J. Clark falará sobre o quadro 'Guernica', de Picasso.

CRISTINA GRANATO/DIVULGAÇÃO
Maria Bethânia foi convidada para falar sobre Fernando Pessoa (foto: CRISTINA GRANATO/DIVULGAÇÃO)
Entre os músicos convidados, Gilberto Gil, que faz o show de abertura e participa de debate sobre culturas globais e locais com a historiadora Marina de Mello e Souza a cantora Maria Bethânia, em conversa com a imortal Cleonice Berardinelli sobre Fernando Pessoa e a cantora Miúcha, que debate cinema com o diretor Nelson Pereira dos Santos. Outro cineasta será Eduardo Coutinho, que fala sozinho em mesa em homenagem aos seus 80 anos.

Diversidade e diálogo "Este é um ano com presença um pouco maior de artistas de outras áreas que não a literatura, o que não chega a ser uma novidade na Flip, mas esta edição tem mais diálogo com as diferentes artes", disse o curador da Flip, Miguel Conde. No total, considerando as várias áreas, haverá 23 brasileiros na Tenda dos Autores, o maior número desde o início da feira (em dois anos, houve 22 autores nacionais).

BRENDAN MCDERMID/REUTERS
O irlandês John Banville participará de mesa-redonda com Lydia Davis (foto: BRENDAN MCDERMID/REUTERS)
Com escritores do país, haverá mesa com três das mais elogiadas poetas da nova geração – Alice Sant"Anna, Ana Martins Marques e Bruna Beber –, e outra mesa sobre poesia, com Nicolas Behr e Zuca Sardan. Os romancistas José Luiz Passos, Paulo Scott e Daniel Galera são outros confirmados – os dois últimos participarão também de mesas na Flipzona. A homenagem a Graciliano Ramos terá apenas três mesas, incluindo a conferência de abertura, por Milton Hatoum. O evento terá orçamento de R$ 8,6 milhões – valor semelhante ao do ano passado.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS