Trilogia com textos clássicos da literatura mundial prova a evolução da linguagem cênica do Giramundo

Em cartaz no Teatro Bradesco, espetáculos mostram aproximação com as novas mídias

por Sérgio Rodrigo Reis 28/03/2013 07:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pedro Motta / Especial para o EM
(foto: Pedro Motta / Especial para o EM)
O mundo mágico da ficção científica e dos contos de fadas será revisitado pelos bonecos do Grupo Giramundo. Nos próximos três fins de semana, o Teatro Bradesco vai mostrar os resultados da aventura que foi recriar as clássicas histórias de 'Pinocchio' e 'Vinte mil léguas submarinas' e ainda à montagem inédita de 'Aventuras de Alice no país das maravilhas'.

A trilogia, que traz em comum o conflito do homem com a sociedade, a natureza ou a realidade, propõe uma arriscada aproximação com as novas tecnologias e linguagens cênicas. Mesmo com textos bem diferentes em sua essência, as peças apresentam conexões, como o predomínio do tom surrealista e a época em que foram escritas.

O clássico 'Pinocchio' foi criado por Carlo Collodi, em 1883, na Itália. 'Vinte mil léguas submarinas', de Julio Verne, foi publicado em 1871, na França. E 'Aventuras de Alice no país das maravilhas' é baseado no original do inglês Lewis Carrol, de 1865. Cada texto à sua maneira, eles espelham as realidades e aspectos da paisagem dos respectivos países e guardam diferenças pontuais. Enquanto 'Pinocchio' evidencia o prazer contra a ordem social, em 'Vinte mil léguas...' o embate se dá com o conhecimento científico e a liberdade. Já 'Alice...' mistura a realidade e o universo dos sonhos.

A intenção do Giramundo, ao se apropriar de textos tão importantes, foi realizar adaptações nas quais coexistem aspectos tradicionais, representados pelas formas dos bonecos, e experimentais, evidenciados pelas pesquisas das possibilidades de encenação. A introdução da linguagem do vídeo, da robótica, da videoanimação e até de atores contracenando com os bonecos comprovam essa busca pelo novo.

Subterrâneo e subversivo
Se o Giramundo deu sinais de modernização quando iniciou a aproximação com o vídeo em 'Pinocchio', em 'Alice...' o uso da tecnologia se amplia com o aparecimento em cena do boneco digital. No novo espetáculo, bonecos-robôs, palcos suspensos, cenografia autoiluminada, projeções audiovisuais, animações e muita eletricidade estarão pela primeira vez a favor da dramaturgia. A montagem consumiu três anos de pesquisas.

O espetáculo narra a jornada de Alice, que, ao cair numa toca de coelho, é levada a um lugar onde as criaturas são um misto de realidade e fantasia. Na versão do Giramundo, bonecos digitais e animação dialogam com atores e bonecos tradicionais, num mundo subterrâneo e subversivo. A peça pretende ressaltar, com o auxílio de imagens, o mundo imaginário de Lewis Carroll. A trilha sonora é assinada por John Ulhoa e Fernanda Takai, que também faz a voz de Alice.

TRILOGIA MUNDO MODERNO
Apresentação dos espetáculos 'Vinte mil léguas submarinas' (de hoje a domingo); 'Pinocchio' (de 4 a 7 de abril) e 'Aventuras de Alice no país das maravilhas' (de 11 a 14 de abril), sempre às 20h, no Teatro Bradesco – Minas Tênis Clube (Rua da Bahia, 2.224, Lourdes). Ingressos a R$ 15 (inteira). Informações: www.giramundo.org

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS