Caminhão-museu percorrerá o Brasil para lembrar a trajetória dos movimentos da luta pela terra

Veículo ficará estacionado até dia 27, na Praça da Reitoria da UFMG

por Ana Clara Brant 18/03/2013 08:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Uma parte da história do Brasil ganhou rodas, motores, boleia e baú. O caminhão-museu Sentimentos da Terra vai percorrer o país para contar a trajetória dos movimentos ligados à luta agrária.

Com curadoria do renomado cenógrafo, arquiteto, designer e diretor de arte Gringo Cardia, o projeto reúne videodocumentários; biblioteca especializada com livros de arte, fotografia, geografia e história, além de jornais e revistas; espaços equipados com computadores, acesso à internet e monitores com tela interativa. Será exibida mostra que retoma o legado de oito personagens exemplares dos conflitos no Brasil rural – entre eles estão o visconde do Uruguai, Chico Mendes, Leonel Brizola e Euclides da Cunha.

A iniciativa é fruto de parceria entre o Projeto República: Núcleo de Pesquisa, Documentação e Memória, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e o Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural (Nead), do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Maquetes instaladas no museu itinerante servirão de palco para contadores de histórias narrarem movimentos e episódios ligados à luta pela terra. “Será o caminhão da alegria e da consciência crítica. Um parque de diversões que faça você refletir sobre valores que devem ser incentivados, como o bem-estar, a ética e a justiça”, explica Gringo Cardia.

A ideia é oferecer ao público algo leve e atrativo, detalha o cenógrafo. “Os visitantes vão se sentir parte do Sentimentos da Terra, porque poderão ser fotografados em cenários elaborados a partir do universo rural, inclusive usando figurinos próprios a personagens ligados a essa questão. Também vamos colher depoimentos de quem tiver algo a contribuir sobre a luta agrária”, destaca Gringo.

O cenógrafo desenvolveu o projeto durante três anos. O caminhão está estacionado na frente da Reitoria da UFMG, no câmpus da Pampulha, em Belo Horizonte. No fim do mês, seguirá para outras cidades. A professora Heloísa Starling, coordenadora do Projeto República, explica que a iniciativa tem o propósito de valorizar a população considerada “invisível”.

“É importante resgatar a história das pessoas que ficaram esquecidas. Até para a gente que trabalha com o tema, surpreenderam as informações e os dados colhidos. O caminhão vai sair de Minas e andar pelo Brasil contando a nossa história. Já temos algumas turnês fechadas, a intenção é que ele percorra do Oiapoque ao Chuí”, adianta Heloísa.
No fim de março, o Sentimentos da Terra segue para Brasília. Depois, estacionará em Goiânia, voltará a Minas Gerais e chegará a Jequitibá, perto de Sete Lagoas, na Região Central do estado. A segunda turnê contemplará Poços de Caldas, no Sul de Minas, e Limeira, no interior de São Paulo.

Como o veículo estará sempre em movimento, a ideia é incorporar novos repertórios à agenda, explica Heloísa Starling. Isso inclui as notícias recentes sobre a questão agrária, pois um painel interativo será atualizado, exibindo reportagens de jornais, revistas e sites.

“Costumo brincar: é a maior loucura que já fizemos, uma coisa muito ousada. Essas histórias têm de ser contadas tanto para o jovem que está em Ipanema quanto para o morador da Raposa Serra do Sol, em Roraima, e encantar os dois. Não é uma tarefa fácil”, frisa a professora.

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press
Gringo Cardia, Roberto Nascimento e Heloísa Starling na boleia do "museu" (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Mutirão de estrelas

 

Os videodocumentários são capítulo à parte do projeto. Produzidos por Gringo Cardia a partir do conteúdo histórico pesquisado pelo Projeto República, eles são narrados por importantes nomes da cultura brasileira.

O público assistirá a um elenco de peso. Apoiaram a iniciativa o ator Caio Blat ('Marchas pela terra'), o músico Chico Buarque ('O sonho republicano e a luta pela terra no Brasil'), a atriz Dira Paes ('Sindicalismo rural'), o compositor Gilberto Gil ('Quilombolas'), o ator José Wilker ('Cultura e educação no campo'), a atriz Letícia Sabatella ('Índios'), o ator Marcos Palmeira ('Repressão e violência no campo'), a cantora Maria Bethânia ('Canudos'), a apresentadora Regina Casé ('Legislação agrária'), a atriz Vera Holtz ('As experiências socialistas e anarquistas no campo') e o ator Wagner Moura ('Margens da marcha para o Oeste').

“Minha pesquisa tem 20 laudas. Arrumamos documentos históricos e fizemos animações. A imagem é um documento de época, só que animado. Dessa forma, criamos nova linguagem na historiografia brasileira. Tudo para deixar o conhecimento de maneira bonita, com conteúdo e interessante”, ressalta Gringo Cardia.

Roberto Nascimento, diretor do Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural (Nead), do Ministério do Desenvolvimento Agrário, diz que o caminhão-museu vai prestar importante serviço aos brasileiros. “Estamos produzindo muito conhecimento sobre a luta pela terra. Agora, temos de acelerar o processo de apropriação disso pela população de maneira interessante, com cultura, tecnologia de ponta, encantamento e conteúdo. O mais importante é que tanto os moradores das metrópoles quanto do interior e do campo vão ter a oportunidade de conhecer o museu ambulante”, conclui.

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press
Dentro do caminhão, sala exibirá videodocumentários (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Enquanto isso…
Aprendizado

Alunos da Universidade Federal de Minas Gerais que se interessarem em atuar como monitores do projeto podem se inscrever pelo e-mail sentimentosdaterra@gmail.com. O estudante deve estar matriculado em qualquer curso da UFMG. Se for selecionado, ganhará bolsa de iniciação científica. Além de passar por preparação para atuar como monitor, o selecionado receberá capacitação como ator, pois participará de encenações que terão a luta pela terra como tema. A preparação dos jovens ficará a cargo da atriz Stella Miranda.

SENTIMENTOS DA TERRA
O caminhão-museu ficará estacionado até dia 27, na Praça da Reitoria da UFMG (Av. Antônio Carlos, 6.627, Pampulha). De segunda a sexta-feira, das 11 às 14h e das 17h às 21h. Entrada franca. Visitas devem ser agendadas pelo e-mail: sentimentosdaterra@gmail.com

Assista ao vídeo sobre o projeto 'Sentimentos da terra':


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS