Estreia versão brasileira de 'O rei leão', um dos mais importantes espetáculos da Disney na Broadway

Montagem conta com a atriz mineira Josi Lopes no papel de Nala, amiga de infância de Simba

por Helvécio Carlos 08/03/2013 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
cenamusical.com.br/Reprodução
Josiane Lopes da Silva conheceu a história aos 14 anos, no cinema, e nunca imaginou integrar o musical (foto: cenamusical.com.br/Reprodução )
Josiane Lopes da Silva tinha 14 anos quando, pelos idos de 1994, resolveu ir ao cinema. Naquela tarde, escolheu a estreia da semana, a animação 'O rei leão', em cartaz no Centro da cidade. O encantamento com o longa dos estúdios Disney foi imediato e a história de Simba nunca mais saiu da cabeça da garotinha. Muito menos de seu caminho profissional. Algum tempo depois, quando estudava música, ela foi apresentada pela professora Ana Taglianetti a Shadowland, tema de Nala, uma das personagens da animação. Tudo caminhava como uma sucessão de, digamos, acasos do destino. O que Josiane não tinha a menor noção é de que, anos mais tarde, 'O rei leão' representaria a grande guinada em sua carreira. Nesta sexta-feira, Josi Lopes, nome artístico da garotinha que se apaixonou com o longa da Disney, faz sua estreia como Nala, amiga de infância de Simba, na montagem brasileira de O rei leão, no Teatro Abril, em São Paulo. 

Josi não esconde a alegria de estar no elenco e conta que a experiência está sendo fascinante. “Não só por estar em um grande musical da Disney como também por viver em outra cidade. Estou gostando muito dessa loucura que é São Paulo, mas fico com uma saudade enorme de minha família e de meus amigos em Belo Horizonte”, confessa, lembrando que foi aqui em BH que sua carreira começou. Antes de ser conquistada pelos palcos, ela se dedicou à música, cantando no coral Sesiminas e no Tambor Mineiro. Com o empurrão de Júlia Dias, foi levada ao Teatro Universitário e, pouco tempo depois, encenou três espetáculos na capital mineira: 'O negro, a flor e o rosário' e 'Oratório – A saga de Dom Quixote e Sancho Pança', ambos da Cia Burlantins, e Zumbi, releitura de João das Neves para o clássico Arena contra Zumbi. “Tive grandes mestres como Sergio Pererê e Maurício Tizumba, que me deram uma base muito boa”, elogia, citando ainda o trabalho de Daniel Kostaz, seu coach.

Foi numa das temporadas de Zumbi que Josi chamou a atenção de uma das produtoras de 'O rei leão'. “Recebi um telefonema convidando para um teste. Como já havia tentado uma vaga para a montagem alemã do espetáculo e fui reprovada, havia desistido por completo da peça. Traumatizei”, brinca. “Mesmo assim, aceitei o convite. Afinal, seria apenas mais um teste”. Dali em diante, o que houve foi uma sucessão de idas e vindas a São Paulo, até que em 18 dezembro recebeu novo telefonema. “Fui escalada para fazer o principal personagem feminino do espetáculo. Esse foi o meu presente de Natal”, vibra.

Para enfrentar a pesada rotina de ensaios, de terça a domingo, das 13h às 21h30, Josi se mudou de mala e cuia para São Paulo, onde alugou uma casa na Mooca. Deixou Belo Horizonte, os pais – a gerente comercial Emília Lopes Silva e o funcionário público Antônio Alberto Silva –, além do namorado, Bruno de Oliveira. Contatos só por por telefone ou pelo Skype. E deles tem grande apoio. “Sou a primeira artista da família”, diverte-se com a ideia de, em breve, ver seu nome no letreiro de um dos maiores sucessos da Broadway, que ganha, agora, versão brasileira. 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS