Alexandre Rato abre exposição na galeria da Biblioteca Pública Estadual

Mostra, que aberta nesta quarta-feira reúne 20 quadros pintados desde o ano passado

09/01/2013 10:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Alexandre Rato/divulgação
Quadros de Alexandre Rato registram o cotidiano (foto: Alexandre Rato/divulgação)
“A foto de uma pessoa é imagem muito reduzida dela. Na pintura, com o modelo posando para você, vê-se muito mais. A pintura é mais intensa, expressiva e viva. Traz com precisão o momento psicológico da pessoa, não só os traços dela”. Essa observação vem de Alexandre Rato, que abre exposição hoje à noite, na galeria da Biblioteca Pública Estadual, em Belo Horizonte.


O artista mostrará 20 quadros pintados desde o ano passado. Apenas dois partiram de fotografias. O título da exposição, que traz também duas esculturas, oferece outra informação sobre a proposta de Alexandre: O olhar pode ter uma camada mais espessa que uma pintura.


Retratos de amigos, da mulher, do sogro e da mãe do pintor expressam o que ele chama de poética do cotidiano. “Minha pintura é mais solta, mais subjetiva e até certo ponto realista. Traz a relação com algo maior: a vida e o que estou experimentando no momento”, explica. Esses trabalhos mesclam real e imaginário. “As duas coisas estão misturadas. Nunca sabemos exatamente o que é uma e a outra”, observa.


A linguagem visual de Alexandre se inspira em três estéticas marcantes na história da arte: naturalismo, expressionismo (“que mostra como sentimos as coisas”, ressalta ele) e a abstração. O pintor escreveu belo texto para a nova exposição. Diz encontrar nos retratos morte, passado e ausência. “Ao mesmo tempo, ao contemplá-los fomento uma quase certeza de eternidade”, observa.


Formado pela Escola Guignard da Universidade do Estado de Minas Gerais e pós-graduando em artes plásticas e contemporaneidade, Alexandre participou de várias coletivas. Em 2008, fez mostras individuais na Biblioteca Pública e na galeria do Sesiminas, em Belo Horizonte.

 

ALEXANDRE RATO
Exposição O olhar pode ter uma camada mais espessa que uma pintura. Abertura hoje, às 19h. Galeria de Arte Paulo Campos Guimarães. Biblioteca Pública Estadual, Praça da Liberdade, 21, Lourdes. De segunda a sexta-feira, das 8h às 20h; sábado, das 8h às 12h. Até dia 31.

 



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS