Videoinstalação de Eder Santos dá ao público a sensação de ver nuvens em movimento

Obra será inaugurada nesta quarta-feira em Belo Horizonte no Museu da Pampulha

por Ailton Magioli 12/12/2012 08:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
 (Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)
Galeria das almas transforma o MAP em uma caixa de vidro que enclausura as nuvens. Instalação já foi mostrada na Espanha (foto: (Rodrigo Clemente/EM/D.A Press))
Captadas em alta definição de um céu esplendidamente azul de Nanuque, no Norte do estado, as nuvens que o belo-horizontino terá a oportunidade de ver projetadas no Museu de Arte da Pampulha (MAP), a partir desta quarta-feira à noite, já viajaram mundo. Depois de protagonizar a videoinstalação Galeria das almas, de Eder Santos, cuja terceira edição estará em exibição no MAP até 31 de janeiro, elas estarão também em Deserto azul, o segundo longa-metragem que o videoartista está concluindo, rodado entre o Brasil (Brasília) e o Chile (Deserto de Atacama). “Elas são lindas”, reage Eder Santos diante do espetáculo proporcionado pela natureza, do qual ele se apropriou graças ao uso de tecnologia de ponta. Foi na Bienal de Havana, em Cuba, diante da vitrine da galeria de armas, que Eder concebeu a caixa de nuvem que resultaria na videoinstalação. “Na época, estava fazendo as gaiolas com passarinhos, que prendem a imagem”, diz, lembrando da instalação Call waiting, de 2005, em que evocam os pássaros criados pelo pai, na época de sua infância. A experiência inaugural com as nuvens ocorreu no mesmo MAP, em 2007. Mineiro de Belo Horizonte, Eder Santos não nega a atração pelo etéreo que remete, inevitavelmente, à força espiritual do estado, onde o grande número de igrejas é reflexo da religiosidade popular. “Muita gente faz a nuvem de abstração, de transformação”, recorda o videoartista, cuja experiência pessoal também passa pela ideia de enclausuramento da nuvem. Posteriormente convidado pelo Centro Cultural do Banco de Brasil (CCBB), de Brasília, o artista voltou a experimentar a caixa de vidro que acabaria resultando na caixa de nuvem, que passaria ainda por Belém (PA) e Madri, na Espanha, onde foi projetada na escada de uma torre de cinco andares, do Canal Isabel II, sob inspiração em um dos contos de O livro dos seres imaginários, do argentino Jorge Luis Borges. Este, na verdade, foi o primeiro trabalho da produtora Trem Chic, que Eder criou ao lado dos sócios André Hallak, Leandro Aragão e Barão Fonseca, para a realização de trabalhos híbridos, que unem artes visuais, cinema, vídeo, teatro, arte computacional e interativa e gambiologia, entre outros. A instalação Galeria das almas III tem direção de Eder, produção videográfica de André e edição de Leandro. A curadoria da mostra ficou a cargo do jornalista Sérgio Rodrigo Reis, ex-diretor do MAP. Segundo ele, trata-se de projeto criado quando ele ainda estava à frente do museu, que acabou vencedor, em 2010, do Filme em Minas, programa do governo do estado para incentivo ao audiovisual. A ideia da videoinstalação é devolver, simbolicamente, as referências do dia quando a noite chega. Em movimento, as nuvens criam a sensação de que vão circundar o prédio do MAP quando, na verdade, elas são projetadas exclusivamente na frente e nos fundos do imóvel, onde também está localizado o auditório do museu. Exibidos por projetores sincronizados, como revela o produtor André Hallak, elas dão a sensação de serem uma imagem só. Poesia e tecnologia e ponta
(Marcos Vieira/Em - 14/9/07 )
Para o videoartista Eder Santos as nuvens evocam a espiritualidade de Minas Gerais (foto: (Marcos Vieira/Em - 14/9/07 ))
Ao revelar a técnica utilizada na montagem de Galeria das almas III, André Hallak diz que “para a imagem é como se fosse um vídeo muito grande”. O produtor usa 13 projetores (cinco na frente e oito nos fundos) sincronizados para a projeção da videoinstalação. O computador – há um para cada grupo de três projetores – é responsável pela sincronização dos vídeos, dando a sensação de tratar-se de uma única imagem. Exibida diariamente, entre as 19h e as 3h, a videoinstalação ficará em cartaz até o fim de janeiro, disputando a atenção do público com a tradicional árvore de Natal montada na Lagoa da Pampulha. Estrategicamente instalado às margens da lagoa, o prédio projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer abrigava o famoso Cassino da Pampulha na década de 1940, transformando-se em museu em 1957. Como faz questão de ressaltar Eder, a exibição de Galeria das almas não deixa de ser uma homenagem ao arquiteto. Galeria das almas III é um site specific, criado especialmente para transformar a fachada do museu em uma enorme tela de projeção, onde serão exibidas imagens de vídeos especialmente criadas para a ocasião. A mostra ocorrerá simultaneamente à exposição Museu revelado, atualmente em cartaz no interior do espaço, que apresenta panorâmica do acervo do MAP. O público poderá ver a obra de Eder tanto em frente ao museu quanto ao redor da orla da Lagoa da Pampulha. Deserto das relações humanas Um dos principais nomes do vídeo brasileiro, Eder Santos diz que depois de Galeria das almas  vai se concentrar em Deserto azul, o segundo longa-metragem de ficção (o primeiro foi Enredando as pessoas, de 1995) que ele está concluindo e que deverá ser lançado em outubro do ano que vem. O filme, segundo o videoartista, relata a busca de um homem que, atormentado, tenta desvendar os sonhos e intuições. “Em plena era virtual, em que estamos cada dia perdendo mais contato entre a gente, ele pensa que a qualquer momento vai transcender”, revela Eder, que reúne no elenco os atores Odilon Esteves, Ângelo Antônio, Maria Luiza Mendonça, Chico Diaz e Leonardo Fernandes. Único sobrevivente do gênero no mundo, o festival VídeoBrasil, na opinião de Eder, evoluiu bastante ao abrir espaço para as artes plásticas e eletrônicas, acabando com as restrições de suporte ou técnica, como reflexo do atual livre trânsito entre as linguagens. Em sua 17ª edição, como lembra o videoartista, que estreou no evento em 1985, o festival, que já recebeu pioneiros como Gary Hill e Bill Viola, exibiu mais de 300 trabalhos. Segundo Eder, atualmente a Ásia é o continente que produz mais novidades no meio. “Hong Kong, Beijing, onde vi coisas interessantes”, revela o videoartista, que acaba de ver a exposição da chinesa Lein Tianmiao na Galeria Lelong, de Nova York. GALERIA DAS ALMAS III – EDER SANTOS Até 31 de janeiro de 2013, no Museu de Arte da Pampulha, Av. Otacílio Negrão de Lima, 16.585, Pampulha. A instalação pode ser vista à noite, até as 3h. Inauguração nesta quarta-feira. Informações: (31) 3277-7946.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS