Livro reúne trabalhos de uma mulher à frente de seu tempo

A inglesa Marianne North, estimulada pelos relatos do amigo Charles Darwin, desembarcou no Brasil em 1872 para retratar a paisagem e a flora

09/12/2012 07:43

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Uma mulher diferente, à frente de seu tempo. A inglesa Marianne North (1830-1890) não quis se casar ou ter filhos. Preferiu dedicar-se à arte da pintura e viveu aventura ousada: viajava pelo mundo registrando com seu pincel o que via. Estimulada pelos relatos do amigo Charles Darwin, desembarcou no Brasil em 1872 para retratar a paisagem e a flora.

O resultado foram telas a óleo com intensidade e coloridos únicos. O diário com os relatos da passagem da artista pelo país e os trabalhos que fez por aqui estão reunidos no livro A viagem ao Brasil de Marianne North (Editora Sextante, 200 páginas, R$ 59,90), com apresentação e organização de Julio Bandeira e edição de Victor Buton.

São 112 pinturas a óleo sobre papel, feitas entre 1872 e 1873, reunidas pela primeira vez num catálogo raisonné. Julio Bandeira garante: “Formam conjunto de extraordinária beleza, que impressiona pela modernidade e impetuosidade”. E vai além, para ele, os óleos da inglesa, que, aos 43 anos, viajou sozinha para o Brasil, “equivalem a mais de três vezes as 32 paisagens brasileiras de Rugendas e as 26 pranchas de botânica e registros da natureza brasileira de Debret”. Flores, borboletas, cobras, beija-flores, sapos, o Pão de Açúcar, a Lagoa Rodrigo de Freitas, topografias, negros no carnaval... nada escapou ao olhar atento da artista “desbravadora”.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS