Livro de Fabrício Marques reflete sobre futuro do jornalismo cultural

por Carlos Herculano Lopes 01/12/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jair Amaral/EM/D.A Press
Fabrício Marques se preocupa com o jornalismo cultural (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

Fundado em 1966 por Murilo Rubião, o Suplemento Literário de Minas Gerais ajudou a formar respeitada geração de escritores. Dirigida atualmente pelo contista e romancista Jaime Prado Gouvea, a publicação ganha dois números especiais, que serão lançados hoje: Nave errante – Reflexões sobre o jornalismo cultural, organizado pelo poeta Fabrício Marques, e A maioridade da crônica, coordenado pelo jornalista Humberto Werneck.

Para Fabrício Marques, é necessário refletir sobre o futuro do jornalismo cultural – atividade que já ocupou espaço nobre na imprensa brasileira, mas vem perdendo importância. A edição especial traz artigos escritos por especialistas como Israel do Vale, J. S. Faro, Geane Alzamora, José Castello e Teixeira Coelho, entre outros, além de entrevistas com Sérgio Augusto e Silviano Santiago.

No número dedicado à crônica, considerada o gênero literário mais genuinamente brasileiro, Humberto Werneck procura mostrar como ela caiu no gosto do povo desde os tempos de José de Alencar e Machado de Assis.

Para o jornalista, a crônica se tornou algo quase de primeira necessidade para o leitor, embora alguns consideram o gênero “menor”. A edição traz textos de Rubem Braga, Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector, Antônio Maria, Antonio Prata e João Paulo Cuenca, entre outros. 

LANÇAMENTO - Edições especiais do Suplemento Literário de Minas Gerais
Hoje, às 11h30
Livraria Quixote, Rua Fernandes Tourinho, 274, Savassi

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS