Improvisação em cena aberta

por Carolina Braga 15/11/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Felipe Marcontes/Divulgação
'Nem o pipoqueiro' nasceu de cena curta do grupo Coletivo Nu (foto: Felipe Marcontes/Divulgação)

A angustiante espera pelo público no teatro e a expectativa do ator em relação a esse encontro é o principal mote do espetáculo Nem o pipoqueiro. A montagem do Coletivo Nu, formado pelas atrizes Cristina Madeira, Fabiana Brasil e Mariana Teixeira, sob a direção de Patrícia Teles, é um desdobramento de uma cena curta apresentada no festival promovido pelo Galpão Cine Horto. “Tomamos o cuidado de ir além da cena curta. Não só dilatar a cena curta, mas acrescentar elementos dentro do mesmo assunto”, conta Fabiana Brasil. 

Em Nem o pipoqueiro, três atrizes com roupas de cabaré aguardam a entrada da plateia. Como ninguém aparece, elas travam embate cênico inspirado na linguagem performativa. Um forte elemento da montagem é a improvisação e o jogo aberto com o espectador. “Na cena curta dávamos uma prévia sobre a questão do ator. Ampliamos, trabalhando muito a projeção. Investimos mais no jogo”, completa a atriz. 

Segundo ela, uma preocupação constante foi como abordar um tema que é exaustivamente tratado nos palcos – o ofício do ator – sem cair no lugar - comum. Para Fabiana Brasil, o acerto está na forma encontrada para falar sobre isso. Ainda como cena curta, Nem o pipoqueiro foi selecionado para o 8º Cena Breve de Curitiba, além de ter feito temporada no Rio de Janeiro.

Nem o Pipoqueiro
De hoje a domingo, no Teatro de Bolso Júlio Mackenzie, Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, (31) 3279-1500. Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$10 (meia).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS