Foto em pauta recebe o fotógrafo Valdemir Cunha para bate-papo

Conversa será sobre o trabalho reunido no livro Brasil Invisível

por Sérgio Rodrigo Reis 13/11/2012 10:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
(Valdemir Cunha/Divulgação)
Imagem do interior do país feita por Valdemir Cunha, que estará hoje em BH (foto: (Valdemir Cunha/Divulgação))
O fotógrafo Valdemir Cunha viajou, durante 10 anos, pelos rincões do Brasil em busca de anônimos que conseguem transformar as riquezas naturais (no entorno de onde moram) em possibilidade de vida digna. Com o olhar apurado em mais de 25 anos de profissão, o resultado da aventura foi revelador. Além do cotidiano do trabalho das comunidades, suas fotos ilustram crenças, hábitos, a cultura e as paisagens naturais. Reunidas no livro Brasil invisível (Editora Origem, 240 páginas), as cenas dos personagens sintetizam a diversidade da população do país. Por isso, a participação de Valdemir, nesta terça-feira, às 19h30, no projeto Foto em pauta é especial. Leia também:

 

Primeiro africano a ganhar o Prêmio Nobel de Literatura faz conferência em BH

Cau Gomez lança o livro Pastinha - O menino que virou mestre da capoeira

 

Ricardo Homem abre mostra nesta terça-feira na Galeria de Arte da Cemig Mostra Museu revelado une outra vez o Museu de Arte da Pampulha e a Casa do Baile Além de exibir uma seleção das imagens que estão no livro, ele falará sobre a experiência de viajar ao longo da carreira por mais de 80 países em busca das cenas que ilustram 11 livros publicados, como Brasil natural, lançado ano passado; Retratos do Brasil (2006) e Pantanal: o último Éden (2008). A maioria das obras, além de fotos, traz textos escritos pelo jornalista Xavier Bartaburu. Em Brasil invisível, por exemplo, eles falam do dia a dia de homens e mulheres inseridos em suas tradições, costumes e modos de pensar. A preocupação de Valdemir Cunha, quando saiu em busca desse Brasil pouco falado e pouco visto, foi realizar trabalho documental do modo de vida de gente que habita um país em profunda transformação. “É um lugar que certamente não existirá daqui a algum tempo, talvez em 50 anos ou menos”, ele imagina. Em lugares onde médicos são raros, as escolas distantes e o saneamento básico inexistente, ele conseguiu ver e registrar como essas populações conseguem sobreviver com dignidade, sobretudo imaginando um futuro melhor para os filhos. As 240 páginas de Brasil invisível são basicamente para as fotos. Antes de tudo, revelam a beleza plástica das regiões. Se alguém tinha dúvida da beleza do Brasil, vai se surpreender com os lugares retratados, a maioria distante dos cartões-postais nacionais. Esse outro país que aparece pelo olhar de Valdemir Cunha é um lugar de gente simples, de pele desgastada pelo sol e pelo tempo, e que aparenta nobreza diante da passagem da vida. As paisagens naturais também surpreendem. Há desde uma vista aérea de enorme rio barrento, de onde se vê, lá embaixo, pequena jangada de vela azul-anil; passando por um homem saindo do mangue ou uma parede recoberta por ex-votos. Nada de novo. Mas que, aos olhos do fotógrafo, transforma-se em imagens reveladoras de quem realmente somos. Foto em Pauta Exposição com bate-papo e projeção de trabalhos do fotógrafo Valdemir Cunha. Nesta terça-feira, às 19h30, no Multiespaço Oi Futuro, Av. Afonso Pena, 4.001, térreo, Mangabeiras. Informações: (31) 3229-3131.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS