Teólogo e escritor Leonardo Boff divulga novo livro com debate em Belo Horizonte

Obra O cuidado necessário, que aborda sustentabilidade, é tema de discussão no UniBH na segunda, 22, às 19h30

por Ana Clara Brant 22/10/2012 09:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Mayela Lopez/AFP
"A gente tem que ter utopia, porque ela é como as estrelas" - Leonardo Boff, teólogo (foto: Mayela Lopez/AFP)
O teólogo e escritor Leonardo Boff garante: o cuidado e a sustentabilidade são os pilares da nova civilização que vem por aí. Esse é o tema do debate do qual ele participa nesta segunda, 22, às 19h30, no UniBH, para divulgar seu livro O cuidado necessário (Editora Vozes). A obra aprofunda a discussão proposta por Saber cuidar, livro anterior de Boff, dando ênfase maior à espiritualidade e à compreensão antropológica e filosófica da importância do cuidado. “É uma continuação, mas, além disso, faço reflexão mais fundamentada sobre o tema. Andei pesquisando muito nas literaturas norte-americana e europeia mais filosóficas. Depois que construí o conceito de cuidado, aplico-o a âmbitos da realidade como a ética, a medicina, a educação, o progresso e a ecologia”, destaca. Boff revela que o livro nasceu de seu diálogo com pessoas que chama de sujeitos operadores do cuidado: profissionais das áreas de enfermagem e medicina, acompanhantes de idosos e enfermos, professores, ambientalistas e ecologistas. A sustentabilidade será um dos destaques da dicussão desta noite, antecipa o escritor. “A nova civilização tem duas pilastras básicas: o cuidado, pois é importante cuidar do planeta e do ecossistema, e a sustentabilidade, que vai permitir que as coisas permaneçam ou possam evoluir”, afirma. De acordo com Leonardo Boff, a sustentabilidade zela para que o que ele chama de Sistema Vida e Sistema Sociedade possam se manter, transformando-se, autocorrigindo-se e se autorreproduzindo. ESTRELAS A conclusão de O cuidado necessário traz interessante análise da utopia. Depois de ler o livro, as pessoas podem achar que os caminhos apontados por Boff são impossíveis de ser viabilizados. Mas o teólogo catarinense avisa: “A gente tem que ter utopia, porque ela é como as estrelas. Nunca vamos alcançá-las, mas, se não existissem, navegadores e astronautas não teriam como se orientar, as noites seriam sombrias. Além de fundamental, a utopia tem função orientadora”, preconiza. Durante o debate, serão exibidos trechos do documentário Crise – oportunidade de crescimento, que aborda a mudança dos fundamentos que regem convicções estabelecidas, culturas, religiões e valores da sociedade contemporânea. O filme ressalta o lado positivo da crise, que, na opinião de Boff, pode conduzir ao amadurecimento e ao crescimento do ser humano.

 

LEONARDO BOFF Teatro Ney Soares da UniBH. Rua Diamantina, 463, Lagoinha. Segunda, 22, às 19h30. Promoção do projeto Sempre um papo. Informações: (31) 3261- 1501. O pensador Nascido em Concórdia (SC), Leonardo Boff, de 73 anos, é doutor em teologia e filosofia. Durante cerca de duas décadas foi professor do Instituto Teológico Franciscano de Petrópolis. Ajudou a criar a teologia da libertação e deixou a vida religiosa ao discordar da cúpula da Igreja Católica. Escreveu cerca de 70 livros nas áreas de teologia, ecologia, espiritualidade, filosofia, antropologia e mística.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS