Centro de Arte Contemporânea e Fotografia expõe os trabalhos do lituano Antanas Sutkus

A retrospectiva reúne 120 imagens captadas pelas lentes de Sutkus mostrando o povo nas ruas

por Sérgio Rodrigo Reis 27/09/2012 11:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Antanas Sutkus/Divulgação
(foto: Antanas Sutkus/Divulgação)
O fotógrafo lituano Antanas Sutkus dedicou boa parte de seus 73 anos ao registro de cenas da vida cotidiana de pessoas simples de seu país de origem. Como o resultado da maioria das imagens não interessava ao partido comunista, tampouco eram desejadas pela estética dominante na época, várias das fotos foram reveladas, mas nunca ampliadas. Hoje, cada vez que recorre ao acervo de cerca de 1 milhão de imagens, o próprio Sutkus se surpreende. Sensação parecida terá o público que visitar a mostra Um olhar livre, que acaba de ser aberta no Centro de Arte Contemporânea e Fotografia.
A retrospectiva de 120 fotos mostra a realidade da União Soviética entre os anos de 1950 e 1990. A primeira foto foi realizada quando ele tinha 17 anos. Retrata uma criança fazendo cambalhota. “Já nesta obra me impressiona a presença do senso de construção estética que perpassaria toda sua trajetória”, explica o curador da exposição, Luiz Gustavo Carvalho. As últimas imagens, de 1991, registram os momentos finais do regime socialista, com a retirada da estátua de Lenin da praça pública. “Com o fim da União Soviética, ele parou de fotografar, pois acreditava que seu heróis, as pessoas mais simples, haviam desaparecido.”
Para além da questão política, o que despertou a atenção do curador foi a qualidade artística das imagens. “São únicas. Antanas Sutkus é um autor que trabalhou toda uma vida fotografando o cotidiano à sua volta na Lituânia, tentando revelar algo não tão desejado pelo poder vigente”, justifica. O trabalho de Sutkus foi no entanto reconhecido. Ele fundou a escola de fotografia na Lituânia, dando um grande impulso à linguagem nos países bálticos. Em 1969, por iniciativa dele, foi criada a Sociedade da Arte da Fotografia em Vilnius, na Lituânia, que reunia os fotógrafos mais talentosos do país, que tinham as mesmas aspirações. Em 1976, foi condecorado pela Associação Internacional de Fotografia Artística, da qual continua membro. 
 
UM OLHAR LIVRE
Até 4 de novembro, de terça-feira a sábado, das 9h30 às 21h; domingo, das 16h às 21h, no Centro de Arte Contemporânea e Fotografia (Av. Afonso Pena, 737, Centro). Entrada franca. Informações: (31) 3236-7400. 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS