Tradicional livreiro do Centro de BH fez de "Tuareg" um best-seller entre a sua vasta clientela

por Eduardo Tristão Girão 23/09/2012 11:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcos Michelin/EM/D.A Press
(foto: Marcos Michelin/EM/D.A Press)

É fato. Se você não leu Tuareg por indicação do livreiro Johan Van Damme, conhece alguém (ou alguém que conhece alguém) que o tenha feito dessa forma. Proprietário da loja que leva seu sobrenome, no Centro de Belo Horizonte, ele ganhou fama por frequentemente sugerir aos fregueses o clássico do escritor espanhol Alberto Vázquez-Figueroa. Essa obra ocupa a primeira posição na estante batizada de “Sugestões do Sr. Van Damme”, que soma 90 títulos, à entrada da livraria.

Van Damme calcula ter vendido o livro do espanhol “a pelo menos nove mil pessoas” desde 1980, quando foi lançado no Brasil. O protagonista do romance é o tuareg Gacel Sayah, pertencente à população de costumes muito antigos e estilo de vida nômade que vive no deserto do Saara, no Norte da África. Habilidoso, o personagem domina o território e faz parte do grupo conhecido como Povo do Véu, cujo integrante jamais deixa um estranho conhecer-lhe o rosto. Só os olhos estão à vista.

A ação começa quando Sayah dá abrigo a dois fugitivos, seguindo seu próprio código de hospitalidade, sem se dar conta de quem são eles. O encontro o leva a uma aventura de desdobramentos impensáveis, envolvendo honra, costumes, estratégia, coragem e morte.

Van Damme conheceu Tuareg numa das remessas de editoras que chegam à sua livraria a todo momento, somando centenas de títulos novos por mês. “Na página 20, já estava incendiado e não consegui mais parar”, relembra o livreiro. Ele já leu o romance 14 vezes – inclusive a versão original, em espanhol. “Não perde a graça, pois é como um filme de cujo tema ou história a gente gosta”, garante. “A versão em português é excelente e não deixa nada a dever à espanhola”, completa.

Topo O livreiro leu toda a obra de Vázquez-Figueroa. Ainda assim, Tuareg permanece no topo de suas preferências. “Esse romance toca muito. Mostra de onde tirar energia quando a gente acha não tê-la mais e como manter a tenacidade para alcançar os objetivos. É como naquela frase famosa: o covarde nunca começa, o fracassado nunca termina e o vencedor nunca desiste”, avalia.

Van Damme tem certeza de que ajuda a manter o romance espanhol popular, por meio de suas incansáveis indicações. A cada 20 meses, ele encomenda nova tiragem à editora gaúcha L&PM, cada uma com 2 mil exemplares. Tuareg está em sua 12ª edição brasileira e custa R$ 49,90. No site do autor (www.albertovazquezfigueroa.com), é possível fazer download integral e gratuito da versão em inglês, que só foi concluída em 2009.

Pode pedir. Ele acha

Exemplo perfeito do que é ser livreiro, Johan Van Damme tem 73 anos e nasceu em Elst, na Bélgica. Aos 10, veio para o Brasil acompanhar a família, pois o pai foi designado para trabalhar na Belgo Mineira, em Coronel Fabriciano, cidade do Vale do Aço mineiro.

“Não deu tempo de fazer curso superior”, lembra ele, que estudou em seminário e, aos 26, abriu a livraria, inicialmente na Rua Goitacazes, no Centro de Belo Horizonte. Depois de transferi-la para a Rua da Bahia, finalmente encontrou o ponto atual, há 29 anos, na Rua Guajajaras.

“Comecei com poucos livros. Na maioria das vezes, os clientes é que encomendavam, pois a gente ainda não tinha muita ideia. Fizemos o acervo aos poucos, conhecendo o que o mercado procurava”, conta ele. Hoje, são 40 mil títulos disponíveis: se o freguês não encontra o que quer por lá, pode encomendá-lo a Van Damme, mesmo que a editora seja estrangeira. “Sendo no sistema solar, tudo bem”, brinca o livreiro, que conta com a ajuda do filho, Johan Van Damme Júnior, de 44 anos, para administrar a loja.

Fluente em várias línguas, ele estima ter lido em torno de quatro mil obras. Fora as leituras que interrompe, pois faz questão de conferir ao menos as 20 primeiras páginas de cada volume que recebe. “Se o livro não me morde até esse ponto, devolvo para a editora”, garante.

O hábito da leitura é diário e Van Damme o mantém sempre à noite, em casa, durante duas horas, o que corresponde a 100 páginas. Não há como fazer isso na loja, pois ele faz questão de cuidar pessoalmente do atendimento.

“Tuareg é o primeiro que sugiro. Se a pessoa leva, lê e gosta, volta para comprar outros títulos. Isso dá credibilidade. Sempre vejo se o cliente que entra na loja está só olhando ou procurando algo. Aí, abordo. Ninguém nunca voltou para me devolver um livro. Tenho fregueses que vêm todos os meses buscar algo novo comigo. O cliente gosta de ser reconhecido”, observa.

Van Damme tem vários números de seu ofício na ponta da língua. Orgulha-se disso, garantindo conhecer os nomes de centenas de fregueses.

A LISTA DO LIVREIRO


Tuareg
De Alberto Vázquez-Figueroa

O deserto dos tártaros
De Dino Buzzati

O andarilho das estrelas
De Jack London

Tão longe do mundo
De Tavae Raioaoa

O punho de Deus
De Frederick Forsyth

Grande sertão: veredas
De Guimarães Rosa

Os pilares da Terra
De Ken Follett

Equador
De Miguel Sousa Tavares

O buraco da agulha
De Ken Follett

O conde de Monte Cristo
De Alexandre Dumas

O sorriso etrusco
De José Luis Sampedro

O físico
De Noah Gordon

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS