Bienal Brasileira de Design chega pela primeira vez a Belo Horizonte

Maior evento do ramo no país revela o que há por trás dos aspectos formais de uma peça

por Ana Clara Brant 19/09/2012 09:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Luciana Wagner Duarte/Divulgação
Vaso Kony de Zanini, destaque da mostra da Bienal Brasileira de Design, que começa hoje em BH (foto: Luciana Wagner Duarte/Divulgação )
 
Design é a concepção ou a idealização de um projeto ou modelo; é o planejamento. Pelo menos essa é a definição que consta nos dicionários. Alguns especialistas no assunto costumam dizer que olhar para um objeto e ver sua alma por trás dos aspectos formais pode ser boa definição para design. A partir de hoje, essa palavra estará em voga na cidade. Belo Horizonte vai receber, pela primeira vez, a 4ª edição da Bienal Brasileira de Design, maior evento do ramo no país.
Até 31 de outubro e com o tema “Diversidade brasileira,” o acontecimento vai explorar as várias ferramentas de design e sua interação com a diversidade do país, promovendo a participação efetiva do setor produtivo e da sociedade, buscando o desenvolvimento e o fortalecimento do Brasil no circuito internacional. “O design está em tudo na nossa vida. A cama que você dorme tem um designer por trás, a torneira para lavar as mãos, a xícara em que você toma café, o carro que dirige. Ele está presente 24 horas por dia nas nossas vidas. Design é cultura, é tecnologia, é economia, é mercado, moda. Cada vez mais, as pessoas começam a entender e a disseminar essa ideia, e a perceber como ele está inserido no nosso cotidiano, Eventos como a bienal só vêm reforçar isso”, acredita Dijon De Moraes, coordenador-geral local da Bienal Brasileira de Design e reitor da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg).
Durante 43 dias, serão oferecidas aproximadamente 30 atividades com entrada franca como mostras, seminários, cursos, palestras, que visam mobilizar e possibilitar a interação entre diferentes públicos como empresários, órgãos governamentais, estudantes e profissionais de diversos setores produtivos, além, do público em geral. Um dos diferenciais dessa edição é a intensificação de ações acadêmicas, como lembra o reitor da Uemg. Entre as atividades oferecidas estão o 4º Fórum Internacional de Design e Processo, encontro temático científico da Rede Latina para o Desenvolvimento do Design como Processo; o Open school, intercâmbio de experiência entre as áreas acadêmicas do design; e o Seminário Internacional Design e Emoção, que pretende reunir pesquisadores nacionais e internacionais reconhecidos em sua área de atuação para intensificar a interdisciplinaridade e estreitar os relacionamentos acadêmicos.
ÉTICA A curadora geral da Bienal de Design, Maria Helena Estrada, acredita que os participantes vão poder conferir como é o design produzido hoje no Brasil e em todo o mundo. Segundo a especialistas, antigamente o design era julgado por sua beleza e estética e, atualmente, o fator mais importante é a ética. “A questão do meio ambiente é exemplo disso. Não importa tanto se uma mesa é bela, mas se ela utilizou muita madeira, isso vai contar”, justifica. Outro ponto importante e que é preocupação contemporânea é a questão da necessidade e da utilidade. “Design não é arte. É inovação. O objeto tem que ser útil, com desenho correto e bem projetado. A beleza deixou de ser fundamental e a necessidade é o que importa. E tudo isso estará presente de certa maneira nessa bienal”, destaca Maria Helena.
 
O que ver
» Da mão à máquina – Desta quinta-feira a 31 de outubro, nas galerias Alberto da Veiga Guignard, Genesco Murta e Espaço Mari Stela Tristão do Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro). A mostra reúne a recente produção do design brasileiro, do artesanato à indústria, com exemplos de desenvolvimentos em mobiliário, utensílios para casa, moda, joalheria e até mesmo meios de transporte, com ênfase em novas tecnologias produtivas, algumas inéditas no país. Entrada franca.
» 3º Prêmio Sebra Minas Design – Mostra com o trabalho dos vencedores, em cartaz desta quinta-feira a 31 de outubro na Galeria Arlinda Correa Lima, no Palácio das Artes. (Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro) Entrada franca.
» Mostra Design de Carros no Brasil: Inovações e rupturas – De 28 deste mês a 31 de outubro, na Casa Fiat de Cultura (Rua Jornalista Djalma Andrade, 1.250, Belvedere). A exposição apresenta visão histórica da evolução do design do automóvel no Brasil, por meio dos talentos individuais que contribuíram para a formação de uma identidade de design automobilístico no país. Entrada franca.
» Mostra Petraurum – A construção de uma identidade para a joia brasileira, de 8 a 28 de outubro, no Museu de Artes e Ofícios (MAO), na Praça da Estação. Traça retrospectiva histórica do Instituto Brasileiro de Gemas e Metais (IBGM) desde os anos 1990, além de apresentar peças, nacionais e internacionais, premiadas no concurso Auditions, nos últimos 12 anos. Entrada franca.
» Seminário Módulo Design e Tecnologia – Na Fundação Clóvis Salgado (Sala Juvenal Dias e Sala João Ceschiati). Do dia 25 a 17 de outubro. Entrada franca, limitada à capacidade do espaço. Informações: (31) 3916-8608.
»  Redondas – 01 pessoa, 10 cadeiras, na Serraria Souza Pinto (informações: (31) 3357-3660). De 4 a 18 de outubro, das 18h30 às 20h30. Entrada franca, limitada à capacidade do espaço. Informações: sindimov@sindimov-mg.com.br. 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS