Peça Eu te amo, baseada em filme de Arnaldo Jabor, volta aos palcos

Juliana Martins e Alexandre Borges interpretam casal que vive intensa paixão

por Sérgio Rodrigo Reis 07/09/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcos Morteira/ Divulgação
(foto: Marcos Morteira/ Divulgação)
 
O retorno a Belo Horizonte da peça Eu te amo, adaptação da obra homônima de Arnaldo Jabor, um ano e meio depois da estreia nacional na capital mineira, é uma espécie de retribuição à boa acolhida àquele início. “Não foi à toa que escolhemos voltar. Como estou na novela Avenida Brasil, da Globo, e não posso realizar turnês ininterruptas por causa das gravações, selecionamos a dedo algumas cidades para fechar o ciclo do espetáculo”, conta o ator Alexandre Borges. Na montagem, que será apresentada neste sábado, às 21h, e domingo, às 18h, no Teatro Sesiminas, ele faz par romântico com Juliana Martins, na história de um casal com suas diferenças e questionamentos sobre o amor e relacionamentos. 
Amor, dor de amor, tesão, desejo, ilusão, rejeição, carência e sexo. Sentimentos universais que, em uma mesma narrativa, garantem a atemporalidade do texto. Depois de servir de roteiro para o filme homônimo, de 1981, agora o roteiro ganha os palcos pelas mãos dos cineastas estreantes no teatro Rosane Svartman e Lírio Ferreira. Não é a primeira vez que Alexandre Borges estrela um personagem de Jabor. Em 1993, ao lado da mulher, Júlia Lemmertz, ele atuou em Eu sei que vou te amar. No processo de preparação chegou a assistir o filme Eu te amo e achou que poderia adaptá-lo para o palco. “Fico feliz em fazê-lo agora, pois, como ocorre com meu personagem na novela, é um texto que fala da relação amorosa.”
A versão que ganhou os palcos foi atualizada. “O casal se conhece na internet num momento em que cada um à sua maneira está enfrentando uma crise amorosa. A conversa acaba evoluindo para encontros intensos e dessa relação carnal nasce um sentimento. É quando os problemas que os intrigavam nos antigos relacionamentos acabam voltando”, explica Alexandre Borges. Em tom de comédia romântica, Paulo e Maria, dois derrotados pela vida ou por si mesmos, estão decepcionados com o amor e com a rotina profissional. Eles se encontram e se apaixonam, enquanto fingem ser outras pessoas. Quando caem na real, qualquer vestígio de afeto acaba.
O espetáculo consegue tirar graça dos dramas vividos tanto pelo homem quanto pela mulher. “O Jabor lida bem com o lado sarcástico do humor”, acredita Borges. A montagem que os mineiros verão está diferente daquela da estreia. “O espetáculo foi crescendo na intimidade dos atores, com sacadas novas e improvisações”, garante o ator que, depois do ciclo de encerramento de Eu te amo e de um merecido período de férias, deverá retomar o projeto Poema bar, um recital com poesia de Vinícius de Moraes e Fernando Pessoa, que tem apresentado em espaços alternativos, em parceria com o pianista português João Vasco.
Eu Te Amo
Sábado, às 21h, e domingo, às 18h, no Teatro Sesiminas (Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia). Ingressos a R$ 70 e R$ 35 (meia). Informações: (31) 3271-4181.


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS