Representante da nova safra literária brasileira, Ana Paula Maia fala ao público em BH

Projeto do Museu de Artes e Ofícios abre espaço para a escritora de A guerra dos bastardos

por Carlos Herculano Lopes 28/08/2012 10:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Sérgio Caddah/Divulgação
A escritora Ana Paula Maia lança livros e conversa com os leitores de BH (foto: Sérgio Caddah/Divulgação)
Carioca, nascida em 1977, Ana Paula Maia vem se firmando como uma das vozes mais originais da literatura brasileira contemporânea. Autora de A guerra dos bastardos, Entre rinhas de cachorros e porcos abatidos e Carvão animal, ela chega a Belo Horizonte nesta terça-feira, 28, para participar da programação do Ofício da palavra, no Museu de Artes e Ofícios. Cheia de novidades, conta que está escrevendo mais um romance, De gados e homens, ainda sem data de publicação. 

A história terá como personagem central o já conhecido Edgar Wilson, que aparece em outros livros seus. “O título pode ser lido como uma sinopse brevíssima do livro. Até o momento, é o mais pistoleiro dos meus livros e evoca uma questão polêmica acerca do abate de gado. Será também a primeira vez em que usarei um elemento natural em minhas histórias”, adianta.

Fato que vem animando a escritora é o convite que recebeu do ator e diretor Guilherme Weber para escrever com ele o roteiro de Deserto, longa-metragem baseado no romance Santa Maria do Circo, do mexicano David Toscana, já lançado no Brasil. “O Guilherme fez uma compilação do livro, um pré-roteiro, passou para mim e, a partir do material, escrevi uma história com bastante liberdade criativa.” diz Ana Paula. A produção do filme, que será dirigido por Guilherme, será da mineira Vânia Catani. A previsão é de ser rodado no ano que vem e um dos atores já convidados foi Lima Duarte. 

Dona de uma escrita recheada de fatos violentos, Ana Paula conta que suas histórias surgem principalmente da imaginação e empatia, que para ela são elementos básicos do ato de escrever. “Fatos reais, no caso, só uso quando percebo que cabem na trama”, diz. Foi assim no primeiro romance, A guerra dos bastardos, que abriu para ela a porta das editoras e lhe deu segurança para continuar escrevendo. 

Convidada pelo escritor Luiz Ruffato para participar da antologia 25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira, Ana Paula Maia diz não ver muitas novidades na literatura que está sendo produzida por mulheres no país. “Acho os textos muito semelhantes. De umas escritoras gosto, pela qualidade literária. Mas nem sempre as histórias me atraem”, confessa. Da nova safra, diz ter empatia com Rafael Starling, autor de Festa na usina

Ana Paula Maia
A escritora lança livros e bate papo com o público, terça-feira, 28 de agosto, às 19h, no Projeto Ofício da Palavra, Museu de Artes e Ofícios, Praça da Estação s/nº. Entrada franca. Informações: (31) 3225-5836.


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS