Produção húngara leva o Urso de Ouro no Festival de Berlim

Filme 'On body and soul', de Ildikó Enyedi, desbancou os favoritos 'The other side of hope', da Finlândia, e 'Una mujer fantástica', do Chile

por Redação EM Cultura 18/02/2017 17:38
Reprodução/Berlinale
Cena de 'On body and soul' (foto: Reprodução/Berlinale)
On body and soul, filme da húngara Ildikó Enyedi, venceu o Urso de Ouro do Festival de Berlim. O prêmio foi anunciado neste sábado.

O filme, que já havia levado o prêmio da crítica concedido pela Fipresci, a Federação Internacional de Críticos, desbancou favoritos, como The other side of hope, de Aki Kaurismaki, e Una mujer fantástica, de Sebastián Lelio.

A história gira em torno de Mária (Alexandra Borbély) e Endre (Morcsányi Géza). Os dois são funcionários de um abatedouro de gado. Ele é o diretor financeiro, ela acaba de ocupar o cargo de inspetora de qualidade. Ambos se acham incapazes de amar, e acabam se encontrando em sonhos.

A 67ª edição da Berlinale também premiou o senegalês Alain Gomis, que recebeu o Grande Prêmio do Júri por Félicité. “"Nós somos o povo. Nós somos maravilhosos", disse ele nos agradecimentos.

A polonesa  Agnieszka Holland recebeu um Urso de Prata – Prêmio Alfred Bauer (para filmes que abrem perspectivas) por Spoor.

O finlandês Aki Kaurismäki não levou o prêmio principal foi eleito o melhor diretor por The other side of hope. O drama narra o encontro entre Khaled, um refugiado sírio que está, contra a sua vontade, na Finlândia, e um homem divorciado de sua mulher alcoólatra.

A sul-coreana Kim Minhee foi eleita a melhor atriz por On the beach at night alone, produção de Hong Sangsoo. E o austríaco Georg Friedrich foi considerado o melhor ator por Bright nights, de Thomas Arslan.

Una mujer fantástica
, do chileno Sebastián Lelio, um dos filmes mais aplaudidos da competição, ficou com o Urso de Prata de melhor roteiro. “Nós temos que lutar contra esses tempos obscuros com dignidade e beleza, representados na figura dessa mulher fantástica que é Daniela Vega”, disse o cineasta, dirigindo-se à protagonista de seu filme, atriz e cantora lírica transexual.

Na seara dos curtas, o Urso de Ouro ficou para o português Cidade pequena, de Diego Costa Amarante.

O Brasil concorria na mostra principal com Joaquim, filme de Marcelo Gomes rodado em Diamantina sobre Tiradentes. O país, que levou 12 produções a Berlim, ganhou o prêmio da crítica da seção Panorama para Pendular, de Júlia Murat.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA