Damien Chazelle, diretor de 'La la land', entre o choque e a honra com o Oscar

Musical protagonizado por Emma Stone e Ryan Gosling recebeu 14 indicações, incluindo as de melhor filme, melhor direção, melhor atriz e melhor ator

por AFP 27/01/2017 12:40
Frederic J. Brown/AFP
Damien ao lado de Emma e Ryan na estreia de 'La la land: Cantando estações'. (foto: Frederic J. Brown/AFP)
Damien Chazelle, o diretor do musical La la land: Cantando estações, afirmou nesta sexta-feira, 27, no Japão, que ficou um pouco chocado e muito honrado ao saber que seu filme recebeu 14 indicações ao Oscar.

''Foi um pouco de choque e uma grande honra'', afirmou Chazelle em uma entrevista coletiva no Japão, onde o filme estreou na última quinta-feira, 26.

Com as 14 indicações, incluindo melhor filme, melhor diretor, melhor ator (Ryan Gosling) e melhor atriz (Emma Stone), o filme igualou o recorde de A malvada (1950) e Titanic (1997).

''Ryan e eu estávamos no mesmo hotel quando recebemos a notícia, então nós conseguimos celebrar com champanhe'', afirmou Chazelle.

O ator canadense destacou que o filme foi um trabalho de ''colaboração''.

''Se você tem a sorte de ser reconhecido desta maneira por seu filme, em muitos casos apenas algumas pessoas são indicadas'', disse Gosling. ''Então, observar tantos colaboradores reconhecidos realmente tornou muito mais especial''.

Ao ser questionados sobre referências em La la land que podem ter passado despercebidas, Chazelle citou um filme japonês dos anos 1960.

''Acredito que peguei algo do filme japonês Tóquio violenta, de Seijun Suzuki, e de todo seu tipo de filmes'', declarou Chazelle, que citou a amplitude dos planos e as cores de pop-art que, segundo ele, ''parecem um musical, mas com armas''.


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA