Disney nega querer usar imagem digital de Carrie Fisher em 'Star wars'

Segundo divulgou nota em que afirmar ser falsa informação veiculada pela BBC de que empresa já negociava os direitos para manter atriz como Princesa Leia na franquia

por Estado de Minas 13/01/2017 11:14
Walt Disney/Reprodução
Carrie Fisher interpretou a Princesa Leia pela primeira vez em 1977. (foto: Walt Disney/Reprodução)
A Walt Disney negou que pretenda manter a imagem de Carrie Fisher recriada digitalmente nos próximos filmes da franquia Star wars, mesmo depois da morte da atriz, no dia 27 de dezembro de 2016, vítima de um ataque cardíaco. 

Segundo o jornal britânico The Guardian, a companhia soltou nota para desmentir a informação veiculada pela BBC de que a empresa já negocia os direitos para o uso da imagem reconstruída digitalmente. Fisher encarnou a Princesa Leia desde 1977, quando o primeiro filme da saga foi lançado. 

Essa não seria a primeira vez que a Disney lançaria mão deste recurso. Em Rogue one o ator Peter Cushing, morto em 1994, que interpretou o Governador Tarkin, foi recriado digitalmente. O uso de imagens digitais de atores mortos em filmes recentes tem gerado um intenso debate sobre ética. 

A última aparição de Carrie Fisher em filmes Star wars, no entanto, já está garantida. Antes de partir, a atriz já havia completado as gravações de sua participação no Episódio VIII, com estreia marcada para o fim deste ano. 

Segundo fontes da Disney, a Princesa Leia, personagem de Carrie, teria um papel importante no Episódio IX, cujas filmagens ainda não começaram. Dirigido por Colin Trevorrow, o filme tem previsão de lançamento para dezembro de 2019. 



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA