Meryl Streep é acusada de ser anti-Israel em discurso do Globo de Ouro

Ao citar Natalie Portman, internautas repararam que a atriz se "recusou" a dizer o nome do país e interpretaram como um posicionamento contra a nação

por Estado de Minas 10/01/2017 15:56

Reprodução/Twitter
(foto: Reprodução/Twitter)
O discurso de Meryl Streep na entrega do Globo de Ouro está dando o que falar. A fala da atriz, que rendeu críticas ao presidente eleito dos EUA, Donald Trump, vem sendo acusada de ter sido anti-Israel.

 

A atriz recebeu o Prêmio Cecil B. DeMille, pelo conjunto da obra em sua carreira, e em seu discurso exaltou os estrangeiros ao citar alguns nomes presentes na festa, nascidos fora dos Estados Unidos, como forma de protesto contra a política de deportação de imigrantes, defendida por Trump."Se nós deportássemos os estrangeiros, estaríamos vendo apenas futebol e MMA", argumentou. 

 

"A bela Ruth Negga nasceu em Addis Ababa, Etiópia, e cresceu na Irlanda. Ryan Gosling, como todas as pessoas mais legais, é canadense. Dev Patel nasceu no Quênia, cresceu em Londres e está indicado por interpretar um indiano que cresceu na Tasmânia", iniciou. "Amy Adams nasceu em Veneza, na Itália, e Natalie Portman nasceu em Jerusalém", finalizou Meryl. 

 

No entanto, muitos identificaram a omissão do nome de Israel, país de origem de Portman, como um posicionamento contra a nação. Internautas afirmaram que Meryl havia sido "anti-Israel" ao se "recusar" a dizer o nome do país, enquanto outros "repararam" que a atriz citou todos os países dos atores estrangeiros, menos o de Natalie. 

 

 

 

 



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA