Debbie Reynolds morre um dia depois de sua filha Carrie Fisher

Atriz tinha 84 anos e morreu após sofrer um Acidente Vascular Cerebral

por AFP - Agence France-Presse 29/12/2016 00:10
 Ethan Miller / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
(foto: Ethan Miller / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP)
A lenda do cinema americano Debbie Reynolds faleceu nesta quarta-feira, aos 84 anos, um dia após a morte de sua filha Carrie Fisher, informou o site de celebridades TMZ. Reynolds foi internada nesta quarta após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC). "Ela queria estar com Carrie", disse seu filho Todd Fisher, citado pela revista especializada Variety.

Debbie sofreu o AVC quando estava na casa de Todd Fisher tratando do funeral da filha. Carrie Fisher, que ficou famosa após interpretar a princesa Leia na trilogia original de "Star Wars", morreu na terça-feira, em Los Angeles, quatro dias após sofrer um infarto durante um voo.

Debbie Reynolds, que recebeu o Prêmio Humanitário Jean Hersholt no ano passado, cativou o público pela primeira vez no filme "Cantando na Chuva", em 1952. Ela foi indicada ao Oscar por seu papel em "A inconquistável Molly", em 1964, e ajudou financeiramente um grupo que trabalhava com pessoas vítimas de problemas mentais.

Sua autobiografia, 'Unsinkable: A Memoir", publicada em 2013, detalhou os altos e baixos de sua vida familiar e carreira glamourosa durante a Era de Ouro de Hollywood.

Debbie Reynolds, conhecida como uma das principais colecionadoras de objetos valiosos de Hollywood, foi casada com o pai de Carrie Fisher, Eddie Fisher, por quatro anos durante a década de 1950.

Batizada de Mary Frances Reynolds em 1º de abril de 1932 em El Paso, Texas, Debbie foi a segunda filha de Raymond Francis Reynolds, um carpinteiro ferroviário, e sua esposa Maxine. Foi descoberta pelos estúdios MGM de Hollywood após vencer um concurso de beleza aos 16 anos, na Califórnia.

Kobal Colletion/Divulgação
Debbie Reynolds e Gene Kelly no filme Cantando na Chuva, de 1952 (foto: Kobal Colletion/Divulgação)
Apesar de não ser dançarina profissional, Debbie foi escolhida para atuar em "Cantando na Chuva", com Gene Kelly, o que lhe abriu as portas para vários musicais da MGM, nos quais sempre interpretava uma heroína jovem e saudável. Foi casada três vezes e disse certa vez que tinha mais sorte escolhendo restaurantes do que homens.

Sofreu a humilhação com Fisher, que a abandonou para ficar com sua melhor amiga, a atriz Elizabeth Taylor, falecida em 2011.

Seu segundo marido, o magnata dos calçados Harry Karl, apostou a maior parte de sua fortuna; e o terceiro casamento, com o empresário imobiliário Richard Hamlett, terminou após onze anos. Para sustentar a família, Debbie aceitou trabalhos em Las Vegas, onde teve seu próprio cassino.

Admirada por sua versatilidade, teve sua própria série de TV, "The Debbie Reynolds Show", que durou apenas uma temporada (1969-1970). Sua carreira no cinema terminou em 1970, mas Debbie continuou atuando em filmes e séries para a TV.

"Bright Lights: Starring Carrie Fisher and Debbie Reynolds", o documentário sobre sua relação com a filha, foi premiado este ano no festival de Cannes e deverá ser exibido pela HBO em março.

Vídeo: Debbie Reynolds, Gene Kelly e Donald O'Connor no filme "Cantando na Chuva"

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA