Após críticas, governo recua e reclassifica 'Aquarius' para maiores de 16 anos

Mudança é resultado de um recurso da Vitrine Filmes, distribuidora da produção

por Diário de Pernambuco 01/09/2016 17:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Victor Jucá/ Divulgação
Atriz Sonia Braga interpreta a protagonista de Aquarius (foto: Victor Jucá/ Divulgação )
Após a polêmica em torno da classificação indicativa de 18 anos determinada para o filme pernambucano Aquarius, o Ministério da Justiça voltou atrás e reduziu a idade sugerida. Agora, ao longa foi classificado como obra com temática imprópria para menores de 16 anos.

A mudança, anunciada na quarta-feira, 31, é resultado de um recurso da Vitrine Filmes, distribuidora da produção. A primeira classificação foi revelada no dia 12 de agosto, no Diário Oficial da União. De acordo com a publicação, a decisão foi baseada em cenas com "drogas" e "sexo explícito".

Aquarius tem três cenas de sexo, duas dela com nudez frontal (masculina e feminina), com imagens que duram menos de 30 segundos. A presença de maconha ocorre no início do filme, mas não há alusão ao efeito da substância e não fica muito claro se o cigarro artesanal é de maconha. O filme entrou em cartaz nesta quinta-feira, 1º.

A decisão inicial repercutiu nas redes sociais como uma perseguição do governo federal contra o cineasta Kleber Mendonça Filho e os artistas de Aquarius por causa dos protestos realizados pelo grupo no Festival de Cannes, na França, em maio. Com folhas de papel, eles se manifestaram contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, classificado por eles como um "golpe de estado".

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA