Diretor Aly Muritiba, de 'Para minha amada morta', também renuncia a vaga pelo Oscar

Essa é a terceira desistência do tipo esta semana, reflexo da participação de Marcos Petrucelli na comissão responsável por selecionar o candidato nacional à estatueta

26/08/2016 17:22

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

 Reproducao site da Fundacao Nogueira Tapety
(foto: Reproducao site da Fundacao Nogueira Tapety)
Aly Muritiba, diretor do filme 'Para minha amada morta', publicou em seu perfil no Facebook na tarde de hoje, dia 26, que não inscreverá a produção para ser avaliada pela comissão que escolherá o representante nacional na disputa pelo Oscar de melhor filme estrangeiro.

 

Trata-se da terceira desistência do tipo esta semana, depois de terem feito o mesmo Gabriel Mascaro (de 'Boi Neon') e Anna Muylaert (de 'Mãe Só Há uma'). Essas ações são protesto contra a participação do jornalista Marcos Petrucelli na comissão responsável por selecionar o filme brasileiro que entrará na disputa - ele criticou a equipe do filme à época de sua exibição no Festival de Cannes, na França, por ter se posicionado contra o processo de afastamento de Dilma Rousseff da presidência.

Confira a íntegra da nota que Muritiba publicou:
Nós da equipe do filme Para minha amada morta não reconhecemos a legitimidade da comissão constituída pela SaV para escolher o representante brasileiro na disputa do Oscar 2017, portanto, nos retiramos do pleito. Em tempos de exceção é preciso tomar posição clara.

Paralelamente, o cineasta Guilherme Fiuza Zenha e a atriz Ingra Lyberato renunciaram, ambos nesta semana, a seus postos na comissão de avaliação.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA