Procurando Dory estreia nos cinemas e campanha alerta para sua extinção

Movimento '#nãocompreDory apenas assista o filme' quer sensibilizar o mundo para o risco de desaparecimento da espécie da amiga de Nemo, a 'Regal Blue Tang'

por Estado de Minas 01/07/2016 20:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Disney/Divulgação
No filme, dirigido por Andrew Stanton, o mesmo de Nemo, Dory tem flashes do seu passado e resolve ir atrás de suas origens (foto: Disney/Divulgação)

Sim, ela voltou. Após 13 anos de espera, estreou nos cinemas brasileiros, na última quinta-feira, o filme Procurando Dory. Finalmente os fãs vão saber um pouco mais sobre a história da personagem desmemoriada que ajudou Marlin, o pai de Nemo (a criatura mais procurada dos 7 mares) a encontrar seu filho em Procurando Nemo, primeiro filme da sequência que encantou crianças e adultos em 2003.

A produção recém-lançada chegou mostrando o poder arrasa-quarteirão da fofura azul mais amada de Hollywood (sorry, Smurfs!). Em 2 semanas, o longa já rendeu U$ 136 milhões de dólares em bilheteria, e promete bater o recorde de faturamento da Pixar ao final da temporada de exibição.

savenemo.org/Divulgação
A espécie de peixes iguais a Dory não consegue se reproduzir em cativeiro (foto: savenemo.org/Divulgação)

Ao mesmo tempo em que é capaz de esquentar o coração do mais bruto marmanjo, porém, o brilho desta tão carismática criatura do universo da animação também acende um alerta no mundo real, onde vivem os peixes ornamentais de carne e espinhas. A ONG australiana Saving Nemo teme que aconteça à espécie de Dory (Regal Blue Tang) o mesmo que aconteceu à de Nemo (peixe-palhaço) que, após virar estrela de Hollywood, começou a ser retirada dos recifes dos oceanos em quantidades enormes - cerca de um 1 milhão de bichinhos por ano. A finalidade? Enfeitar aquários. Os palhacinhos aquáticos, felizmente, se reproduzem facilmente em cativeiro, e deste modo puderam ser salvos da extinção.

As Dorys da realidade, no entanto, não poderão contar com mesma sorte caso sejam capturadas com tanta avidez para atender aos caprichos humanos. Segundo a Saving Nemo, os Regal Blue Tang não se multiplicam em viveiros artificiais e, assim, certamente desapareceriam dos mares nessa mesma situação.

E é por isso que, visando evitar o desastre, a ONG e outras instituições conscientes do problema lançaram nas redes sociais várias campanhas que pedem às pessoas para não comprarem uma exemplar real da peixnha. Para conferir o engajamento coletivo - e participar dele - basta digitar no Twitter, Facebook ou Instagram hashtags como #savedory, #savenemo, #nãocompredory e dontbuydory.

Twitter/Reprodução
(foto: Twitter/Reprodução)


Voz de peso

A atriz e comediante Ellen DeGeneres, que empresta a voz à Dory foi uma das várias celebridades que aderiram à iniciativa. Participante da campanha Remember the Reef, focada na preservação dos recifes e sua fauna, DeGeneres atualmente usa suas contas nas redes sociais para pedir aos australianos que ajudem a salvar um dos maiores tesouros naturais do mundo – a Grande Barreira de Corais, habitat natural de Dory - em apuros devido às alterações climáticas.

Twitter/Reprodução
A atriz Ellen Degeneres é uma importante ativista em prol das causas ambientais (foto: Twitter/Reprodução)