Cineasta pernambucano rebate crítica de ministro a protesto em Cannes

Kleber Mendonça Filho usou seu Facebook para questionar o posicionamento de Marcelo Calero, que classificou como ''quase infantil'' o ato dos artistas brasileiros na França

por Diário de Pernambuco 06/06/2016 14:34

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
 Foto: Victor Jucá/Divulgação
Cineasta relembrou filme anterior que ficou entre os dez mais do New York Times. (foto: Foto: Victor Jucá/Divulgação)
Após classificar as manifestações da equipe de 'Aquarius' em Cannes como "irresponsabilidade quase infantil", o Ministro da Cultura Marcelo Calero ganhou uma resposta do cineasta Kleber Mendonça Filho. "Caro Ministro Calero, talvez isso aqui redefina sua noção de o nosso país passar vergonha internacionalmente: O The New York Times é o mesmo jornal de influência mundial que incluiu meu filme anterior - O som ao redor -, fruto do MinC, entre os 10 Melhores de 2012, um orgulho para a Cultura Brasileira. Abs, Kleber", escreveu o pernambucano em seu perfil no Facebook, onde postou uma notícia sobre o editorial do jornal The New York Times, que classifica o governo de Michel Temer como "medalha de ouro em corrupção".

"Eu acho até um pouco totalitário, porque você quer pretender que aquela sua visão específica realmente cobre a imagem de um país inteiro. Eu acho que a democracia precisa ser respeitada e acho que é um desrespeito falar em golpe de Estado com aqueles que viveram o golpe realmente, o de 64. Pessoas morreram. E as pessoas esquecem isso. Então eu acho de uma irresponsabilidade quase infantil", disse o ministro, em programa exibido pelo Canal Brasil, neste domingo, 5. Calero chegou a afirmar, também, que o protesto feito por Kleber Mendonça Filho pode trazer prejuízo à reputação do Brasil.

Em maio deste ano, enquanto caminhavam no tapete vermelho do Festival de Cannes, a atriz Sonia Braga, protagonista do filme, o diretor Kleber Mendonça e outros atores exibiram cartazes em inglês e francês, acusando como ilegal o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. "54 milhões de votos queimados", lia-se em uma das mensagens. O filme 'Aquarius' foi um dos concorrentes à Palma de Ouro, mas não levou o prêmio máximo do festival.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA