Novo Ministro da Cultura chama de 'quase infantil' protesto da equipe de 'Aquarius'

Diretor Kleber Mendonça Filho e elenco do drama ambientado no Recife utilizaram première do filme no Festival de Cannes para criticar processo de impeachment

por Diário de Pernambuco 06/06/2016 10:27

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
AFP / Valery Hache
Atrizes Maeve Jinkings e Sonia Braga, produtora Emilie Lesclaux e diretor Kleber Mendonça Filho (foto: AFP / Valery Hache)
Em entrevista ao jornal O Globo, Marcelo Calero, o novo Ministro da Cultura, definiu como "uma irresponsabilidade quase infantil" o protesto do cineasta Kleber Mendonça Filho, da atriz Sonia Braga e equipe do filme Aquarius durante première no Festival de Cannes.

Enquanto caminhavam no tapete vermelho, Sonia, Kleber e outros atores exibiram cartaz em inglês e francês, acusando como ilegal o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. "54 milhões de votos queimados", lia-se em um dos cartazes.

Dentro do local da sessão, outros membros da equipe também exibiram faixa contra o golpe. A imagem repercutiu nos principais periódicos mundiais e virou capa do britânico The Guardian.

"Eu acho até um pouco totalitário, porque você quer pretender que aquela sua visão específica realmente cobre a imagem de um país inteiro. Eu acho que a democracia precisa ser respeitada e acho que é um desrespeito falar em golpe de Estado com aqueles que viveram o golpe realmente, o de 64. Pessoas morreram. E as pessoas esquecem isso. Então eu acho de uma irresponsabilidade quase infantil", disse o ministro.

Aquarius já tem direitos de distribuição garantidos para mais de 50 países. No Brasil, o filme sai pela Vitrine Filmes, mesma de O som ao redor (2012).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA