'O Bom Gigante Amigo', de Spielberg, leva a Cannes a magia da Disney

Diretor e vencedor de cinco Oscars, ele regressa com um filme mágico que faz lembrar seu 'E.T., o Extraterrestre'

por AFP 14/05/2016 13:46

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

AFP / Laurent EMMANUEL
Steven Spielberg ao lado da atriz Ruby Burnhill, que no filme vive a pequena Sophie, uma corajosa menina que não tem medo dos gigantes malvados (foto: AFP / Laurent EMMANUEL )
"O Bom Gigante Amigo", o primeiro filme da Disney dirigido pela lenda do cinema Steven Spielberg, envolveu com sua magia Cannes e deve conquistar todas as crianças que ainda ignoram quem fabrica os sonhos. O diretor, vencedor de cinco Oscars, regressa com um filme mágico que nos recorda seu "E.T., o Extraterrestre", que marcou toda uma geração há 34 anos.

Uma noite, na qual Sophie, uma pequena órfã leitora assídua, não consegue dormir, ela vê o que nunca devia ter visto: um gigante de 7 metros de altura, com orelhas descomunais, percorrendo as ruas de Londres, para soprar sonhos às crianças que dormem.


Fiel ao romance do britânico Roald Dahl, um dos autores de contos para crianças mais populares do mundo, o livro leva Sophie ao País dos Gigantes, um mundo maravilhoso, mas que é reinado por seres que se alimentam de crianças. Exceto um, "O Bom Gigante Amigo", o único monstro vegetariano.


Este gigante salvará a vida de Sophie, que devolverá o favor mais tarde, ao livrar-se dos malvados gigantes graças a um plano que envolve nada mais e nada menos do que a rainha da Inglaterra.


As cenas no Palácio de Buckingham são muito mais longas que no romance, mas dão ao filme um sopro de ar fresco, apreciado pelo público em Cannes. "É o primeiro filme que dirijo que poderia classificar de história de amor", declarou Steven Spielberg em uma coletiva de imprensa em Cannes. "Devemos acreditar na magia, quando o mundo não deixa de piorar, precisamos de magia".


LIBERDADE TOTAL Diante da imprensa, Spielberg, responsável por muitos dos maiores sucessos de bilheteria da história do cinema, como "Tubarão" e "Jurassic Park", não ocultou a semelhança de "O Bom Gigante Amigo" com "E.T.". De fato, o mesmo roteirista trabalhou em ambos os filmes.

"Fico feliz de contar histórias totalmente imaginárias", disse Steven Spielberg, que leu o romance de Roald Dahl a seus sete filhos quando eram pequenos.


Neste filme "não coloquei nenhuma barreira, me senti totalmente livre para fazer o que eu queria. Me lembrei do meu início como diretor nos anos 1970".


Mas nos últimos 40 anos, aconteceu uma revolução nas técnicas de filmagem. Em "O Bom Gigante Amigo", o primeiro filme da Disney filmado por Spielberg, os gigantes são quase reais, sobretudo o ator Mark Rylance, cujo rosto foi totalmente modificado no computador para adotar as características do gigante.


A pequena Sophie, uma corajosa menina que não tem medo dos gigantes malvados, é interpretada por Ruby Barnhill, de quase 12 anos, que estava sentada à direita de Spielberg durante a coletiva de imprensa em Cannes. A jovem atriz explicou que "fez aulas de teatro" e participou de um programa de televisão antes de se lançar nesta aventura.



 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA